Joice
Montagem iG
Gilberto Dimenstein e Joice Hasselmann

A desembargadora do Tribunal de Justiça do Distrito Federal Vera Andrigui decidiu que o site Catraca Livre deverá apagar textos com críticas a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP). A decisão em segunda instância veio após a deputada recorrer do primeiro julgamento, que rejeitou o pedido da parlamentar. Os textos já foram apagados pelo portal.

Leia também: "Parente bom é parente longe", diz Bolsonaro sobre família de Michelle

Joice Hasselmann  entrou com uma ação de indenização por danos morais, alegando que o jornalista Gilberto Dimenstein, criador e colunista do Catraca Livre ,  teria a chamado de "maconheira, gorda, picareta, fraudadora, corrupta, desonesta, histérica e mentirosa". A deputada também argumenta que a a informação de que teria sido expulsa do Sindicato dos Jornalistas do Paraná, divulgada pelo jornalista, é mentirosa. 

Joice diz ainda que ele sugeriu seu envolvimento com drogas e uma relação extraconjugal com o presidente Jair Bolsonaro, e pediu a exclusão das publicações do portal e do perfil do jornalista. Os dois vinham trocando farpas nas redes sociais após Dimenstein publicar um texto com o título "E se eu garantisse que Joice Hasselmann é maconheira?".

Na coluna, o jornalista se defende dos ataques feitos pela líder do governo, que o chamou de "militante comunista". Dimenstein, por sua vez, afirma que usou "um truque de texto", "usando a maconha para mostrar sua desonestidade". 

Na decisão em primeira instância, o juiz considerou a maioria dos xingamentos teriam sido feitos por seguidores do jornalista, e que os elementos juntados por Joice não são suficientes. O magistrado afirma ainda que, apesar da deputada estar processando o Sindicato dos Jornalistas, "a informação de que a mesma foi expulsa é fato". 

Após o recurso, no entanto, a desambargadora entendeu que as “referidas mensagens não têm qualquer interesse público a ser divulgado nem se relacionam à atividade da agravante-autora como parlamentar" e que os textos que ciram a líder do governo no Congresso "contêm afirmações inverídicas e sem lastro probatório, além de expressões de baixo calão, e representam abuso da liberdade de opinião e de imprensa."

Leia também: Ex-governadores do Rio, Garotinho e Rosinha são presos em operação do MP

Nas redes sociais, Joice Hasselmann comemorou a decisão da magistrada. "O esquerdista esquizofrênico Dimenstein começa a ser enquadrado pela justiça! Em pleno “surto”, publicou série de ofensas e mentiras sobre mim. Agora, o mau caráter terá q apagar os posts e preparar o bolso. A indenização será alta", escreveu a deputada.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários