Tamanho do texto

Presidente afirmou que está em "uma briga" na Justiça para acabar com a "máfia das multas"; ele também sinalizou que deve se candidatar a reeleição

Bolsonaro arrow-options
Reprodução/redes sociais
Bolsonaro quer acabar com radares móveis nas estradas

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta segunda-feira (12), que a partir da semana que vem o Brasil não terá mais radares móveis nas estradas. A declaração foi feita durante a inauguração da duplicação da BR-116, no interior do Rio Grande do Sul.

Leia também: Justiça revoga exonerações de Bolsonaro de membros de grupo de combate à tortura

"Estou com uma briga juntamente com o Tarcísio [ministro da Infraestrutura] na justiça para acabarmos com os pardais no Brasil, essa máfia de multas, que vai para o bolso de alguns poucos nessa nação. É uma roubalheira", afirmou Bolsonaro . "Anuncio para vocês que a partir da semana que vem não teremos mais radares móveis no Brasil". 

O presidente, no entanto, não especificou como isso será feito. "Essa covardia de ficar num descidão, no final de um retão alguém atrás de uma árvore para multar vocês não existirá mais", completou. 

Bolsonaro também falou sobre o projeto de lei que enviou a Câmara dos Deputados que, entre outras medidas, aumenta a validade da CNH de 5 para 10 anos e amplia de 20 para 40 o número de pontos máximos para a cassação do documento.

Para o presidente, "quando um motorista profissional perde sua carteira de motorista , na verdade ele está perdendo a sua carteira de trabalho". "O Parlamento com toda a certeza dará a devida resposta a essas propostas nossas", acrescentou.

Em seu discurso durante a cerimônia, Bolsonaro ainda sinalizou que pretende se candidatar a reeleição. O presidente disse que pretende, em 2023,  integrar a malha ferroviária entre o porto de Taqui, no Maranhão, e o porto de Santos, em São Paulo. "Não dá pra fazer antes de 2023", reiterou.