Tamanho do texto

Objetivo do presidente da Câmara é ter 'margem tranquila' para a votação em plenário, que deve acontecer "no fim do mês ou início do mês que vem"

Rodrigo Maia
Luis Macedo/Câmara dos Deputados - 30.5.19
Maia nega pedidos de viagem a deputados para votar reforma da Previdência antes do recesso

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta segunda-feira (3) que está negando pedidos de viagem a parlamentares que pretendiam estar longe de Brasília a partir
do dia 20 deste mês. O objetivo, segundo ele, é ter uma "margem tranquila" em plenário para aprovar a reforma da Previdência .

Leia também: Governadores têm que "colocar sua digital" na reforma, defende líder do PSL

Maia acredita que a proposta possa ser votada no "fim do mês ou início do mês que vem", antes do recesso na Câmara. "Eu acho que o quórum da Casa tem que estar perto dos 500
deputados. Já estou cancelando viagens a partir do dia 20 de junho", afirmou.

"Todos os pedidos estão sendo negados, para que a gente possa, a partir do dia 20 de junho, já voltar a ter o quorum de 500, 505 deputados. Hoje nós estamos numa média de 475,
480 deputados", acrescentou o parlamentar.

Leia também: Relator da Previdência pede adesão de governadores à reforma

O presidente da Câmara acrescentou que a reforma "será aprovada". "(Em um prazo) otimista, (votamos) no final do mês ou início do outro mês, se tudo der certo. Se tiver algum
tropeço, algum movimento errático de alguém, aí no início do próxima semestre. Mas eu sou dos otimistas", revelou Maia .