Tamanho do texto

"Quem deve ditar os rumos do país é o povo! Assim são os democratas", escreve o presidente em vídeo compartilhado no Facebook e Instagram

bolsonaro
Marcos Corrêa/PR
Jair Bolsonaro compartilhou vídeo nas redes sociais onde religioso africano o aponta como "escolhido por Deus"

O presidente Jair Bolsonaro fez uma postagem em suas redes sociais neste domingo (19) onde escreve que "não existe teoria da conspiração", mas sim uma "mudança de paradigma na política".

Leia também: Bolsonaro nega ter sancionado projeto que anistia multa a partidos

"Quem deve ditar os rumos do país é o povo! Assim são as democracias", diz o texto compartilhado por Bolsonaro , que acompanha um vídeo em que um religioso africano o compara a um político escolhido por Deus, em um programa de TV brasileiro.

O vídeo foi compartilhado no Facebook e no Instagram do presidente , mas não na sua conta no Twitter. A gravação de quase seis minutos traz um discurso dirigido à "população brasileira" pelo apóstolo Steve Kunda , nascido na República Democrática do Congo, que fala em francês e é traduzido por um intérprete. Apesar de sua origem, ele foi apresentado como um "pastor francês" por Bolsonaro.

Veja o vídeo:

Leia também: Bolsonaro comemora entrada de empresa aérea europeia no Brasil

Na gravação, Kunda diz:

“Eu não faço política, eu sou pastor. Mas eu creio que tem que haver uma influência na política. A igreja não é somente orar manhã, noite e tarde, é influenciar a sociedade no plano político, e não negativo. E na história da bíblia, houve políticos que foram estabelecidos por Deus.

Um exemplo é quando falam do imperador da Pérsia, Ciro. Antes do seu nascimento, Deus fala através de Isaías: ‘Eu escolho meu servo Ciro’. E o senhor Jair Bolsonaro é o Ciro do Brasil. Você querendo ou não.”

A fala foi transmitida no último dia 10 de abril no programa "Bate Papo", da Rede Super, um canal de TV com sede em Belo Horizonte que pertence à Igreja Batista da Lagoinha.

A publicação aconteceu dois dias depois de o  presidente compartilhar no seu WhatsApp um texto em que o Brasil é descrito como um país "ingovernável" fora dos "conchavos políticos"

Endossado pelo presidente, que recomendou a leitura como "obrigatória", o artigo apresenta um tom de desabafo sobre as dificuldades de se conseguir governar, e encerra com a preocupação de que o governo seja “desidratado até morrer de inanição". A ideia principal é que Bolsonaro sofre resistência de "corporações", e que o Congresso o impede de aprovar medidas.