Tamanho do texto

Há 3 anos, Senado aprovava abertura do processo, que culminou com o afastamento da ex-presidente; mais tarde, Congresso julgou a petista culpada por crime de responsabilidade e confirmou perda definitiva do cargo

Dilma Rousseff
Wilson Dias/Agência Brasil
Dilma Rousseff foi definitivamente afastada da Presidência no dia 31 de agosto de 2016, após votação no Senado

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) lembrou neste domingo (12) os três anos da abertura do processo de impeachment pelo Senado , que a afastou do cargo e, posteriormente, condenou-a por crime de responsabilidade fiscal. No Twitter, a petista afirma que o processo foi golpe e “tirou os monstros do armário”.

“A abertura da caixa de Pandora tirou os monstros do armário, jogou economia no buraco, destruiu políticas sociais e inviabilizou o que construímos desde o fim da ditadura. E deu no que deu: ascensão da extrema direita, prisão de Lula e Estado de Exceção”, escreveu Dilma .

Com a abertura do processo de impeachment no dia 12 de maio de 2016, Dilma foi afastada do cargo e o então vice-presidente Michel Temer assumiu o poder. A confirmação da perda do mandato da petista veio no dia 31 de agosto de 2016 , após nova votação no Senado.

Para o Congresso, Dilma “cometeu os crimes de responsabilidade consistentes em contratar operações de crédito com instituição financeira controlada pela União e editar decretos de abertura de crédito sem autorização do Congresso Nacional”.