Tamanho do texto

Governador de São Paulo disse protestou contra entrevista do ex-presidente e se disse 'surpreso'; Doria também voltou a evitar comentar plano para 2022

IstoÉ

João Doria
Divulgação/Governo de São Paulo
Governador João Doria protestou contra entrevista concedida por Lula

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), criticou neste domingo (28) a  entrevista concedida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos jornais Folha de S.Paulo e El País , em que disse, entre outras coisas, que o Brasil era governado por "um bando de maluco" .

“Me surpreendeu a entrevista. Nunca vi presidiário dar entrevista na prisão. É um fato inédito no Brasil. O ex-presidente e presidiário Luiz Inácio Lula da Silva parece estar em um processo avançado de esclerose”, disse João Doria .

O tucano falou com jornalistas após participar da convenção estadual do DEM na Assembleia Legislativa ao lado do vice governador, Rodrigo Garcia, que foi eleito presidente da sigla no Estado.

Questionado sobre uma possível candidatura presidencial em 2022, Doria foi evasivo. “Cada passo é um passo. Cada tempo é seu tempo. Agora é tempo de gestão", afirmou.

Além de Doria, o prefeito Bruno Covas , o ex-ministro Gilberto Kassab e o senador José Serra também participaram da convenção. O governador também falou sobre o futuro do PSDB e defendeu a criação de um código de ética “duro” para o partido.

Leia também: Bolsonaro nega que Moro escolherá próximo procurador da República

Doria também defendeu que o PSDB adote uma postura mais liberal na economia. “Nossa defesa é que o PSDB seja um partido liberal. Nem de esquerda, nem direita. Mas de centro”.

    Leia tudo sobre: Lula