Tamanho do texto

Hospital Bartira, no ABC Paulista, divulgou diagnóstico errado sobre neto do ex-presidente; garoto faleceu no dia 1º de março por infecção generalizada

undefined
Reprodução
Arthur Araújo Lula da Silva tinha sete anos e morreu por conta de uma infeccção causada por uma bactéria

A família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estuda a possibilidade de entrar na Justiça contra o Hospital Bartira, de Santo André, no ABC Paulista, pelo vazamento do boletim médico do neto do ex-presidente, Arthur Araújo da Silva, que faleceu em março. As informações são do jornal Folha de S.Paulo

O neto de Lula morreu no dia 1º de março, aos 7 anos de idade. No início, o hospital divulgou que a morte teria acontecido em consequência de uma meningite. No entanto, na última terça-feira (2), a prefeitura do município afirmou que o boletim médico divulgado anteriormente estava errado .

A real causa da morte foi uma infecção generalizada causada pela bactéria  Staphylococcus aureus . Segundo o executivo, a Secretaria Municipal de Saúde encaminhou amostras coletadas no hospital, para análise e confirmação, ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e os exames deram negativo para meningite, meningite meningocócica e meningococcemia, mas infectologistas confirmaram a infecção generalizada.

Leia também: Barroso arquiva caso de desembargador que mandou soltar Lula

O velório do menino foi o único evento para o qual o ex-presidente foi liberado a ir, em São Bernardo do Campo. Neste domingo (7), Lula completa um ano na prisão, em Curitiba.

    Leia tudo sobre: Lula