Tamanho do texto

Torcedor do Flamengo, o vice-presidente Hamilton Mourão usou as redes sociais para se solidarizar às vítimas; Wilson Witzel fala em "profundo pesar"

Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão prestaram condolências às famílias das vítimas do incêndio no CT do Flamengo
Twitter/Reprodução
Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão prestaram condolências às famílias das vítimas do incêndio no CT do Flamengo

O presidente da República, Jair Bolsonaro, prestou, em nota, condolências às famílias das vítimas do incêndio ocorrido no Centro de Treinamento (CT) do Flamengo, o chamado Ninho do Urubu, em Vargem Grande, zona oeste do Rio de Janeiro, durante a madrugada desta sexta-feira (8). Antes dele, o vice-presidente Hamilton Mourão também se manifestou por meio de suas redes sociais. 

Leia também: Incêndio atinge CT do Flamengo no Rio de Janeiro e mata jogadores da base

"[Estou] profundamente triste nesta manhã com a tragédia no CT do Flamengo. Como torcedor e esportista, solidarizo-me com as famílias, o clube e a nação rubro-negro", disse Mourão . "Deus conforte a todos. Toque de silêncio", finalizou. 



Por sua vez, Bolsonaro se solidarizou por uma mensagem indireta. "Nesta manhã, tomamos conhecimento da triste tragédia ocorrida no Centro de Treinamento do Flamengo, vitimando jovens vidas que iniciavam sua caminhada rumo à realização de seus sonhos profissionais", diz a nota. "Consternado, o Presidente da República se solidariza com a dor dos familiares neste momento de luto", afirma o comunicado.

O general Mourão é torcedor do Flamengo e evocou um 'toque de silêncio' na rede social, devido ao incêndio
Romério Cunha/VPR - 24.1.19
O general Mourão é torcedor do Flamengo e evocou um 'toque de silêncio' na rede social, devido ao incêndio

No incêndio de grandes proporções, dez vítimas morreram e três ficaram feridas, uma delas gravemente. Os feridos estão internados nos hospitais Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, e Pedro II, em Santa Cruz. As chamas atingiram o alojamento dos atletas e a maioria das vítimas são jovens da base do Flamengo .

O governo do Rio de Janeiro já informou que vai decretar luto de três dias em homenagem às vítimas do incêndio. A cidade já estava em luto devido às mortes causadas pelo temporal da última terça-feira (6), em diversos pontos da cidade. Ao todo, seis pessoas morreram em decorrência das fortes chuvas. 

Leia também: Clubes rivais mandam mensagem de apoio nas redes sociais após tragédia no Flamengo

Também hoje, o governador do Rio, Wilson Witzel, já se pronunciou sobre o ocorrido no CT do Flamengo . “Quero manifestar meu mais profundo pesar por essa tragédia e prestar solidariedade às famílias das vítimas. Que Deus os receba e abençoe”,  disse o governador.

Witzel determinou ainda uma investigação minuciosa das causas do incêndio e, depois de entrar em contato com a direção do clube, solicitou que o vice-governador, Cláudio Castro, vá ao Centro de Treinamento do Flamengo para acompanhar os trabalhos das equipes do governo. As autoridades querem entender se o incêndio tem alguma relação com o temporal que atingiu o Rio no meio da semana. 

O secretário estadual de Esportes, Felipe Bornier, foi um dos primeiros representantes do governo a chegar ao local. “Hoje é um momento muito triste, não apenas para o Flamengo, mas para toda a sociedade carioca”, disse o secretário. O clássico programado para este sábado (9), entre Flamengo e Fluminense, foi cancelado .

Também em nota, a Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania, também enviou lamentou o ocorrido, registrando "carinho e solidariedade aos familiares, aos amigos e a toda comunidade esportiva do Brasil neste momento tão difícil".

"O Ministério da Cidadania se coloca à disposição do clube e das autoridades do Rio de Janeiro para as ações de apoio que se fizerem necessárias", ressalta a nota assinada pelo ministro Osmar Terra e pelo secretário Marco Aurélio Vieira.

Mourão é torcedor do Flamengo e enviou a mensagem em posição de tal. Ele não fez qualquer pronunciamento sobre ações do governo federal a respeito do incidente no CT do seu time do coração. Na nota de Bolsonaro também não há informações sobre qualquer medida.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas