Tamanho do texto

Local fica fechado para acesso a veículos e pedestres das 6h às 19h deste domingo (22), mas entorno está liberado para que ensaio seja acompanhado

Esplanada dos Ministérios está fechada para o ensaio da cerimônia de posse de Jair Bolsonaro
Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Esplanada dos Ministérios está fechada para o ensaio da cerimônia de posse de Jair Bolsonaro


Os organizadores da cerimônia de posse do próximo presidente Jair Bolsonaro farão um ensaio geral na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, neste domingo (23). Para tanto, o local ficará fechado para acessos de pessoas e carros das 6h às 19h e contará com segurança específica, a mesma que será utilizada no dia 1º de janeiro, quando se dará o evento oficial.

Pela primeira vez na história do Brasil, a cerimônia de posse de um presidente contará com mais de três mil agentes de segurança . O número de profissionais foi pedido pelo ministro-chefe de Segurança Institucional da Presidência, Sérgio Etchegoyen, para dar maior proteção a Bolsonaro. O capitão reformado levou uma facada durante a campanha eleitoral e o atual governo quer evitar qualquer incidente.

“O treinamento operacional foi uma solicitação direta da Coordenação de Segurança de Área (CSA), ligada ao Comando Militar do Planalto (CMP), para os ajustes necessários, já que a operação envolverá órgãos federais e locais”, explicou a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal.

Ainda que não tenha acesso à Esplanada, o público está autorizado a acompanhar o ensaio geral no entorno do local. A expectativa é de que pelo menos 10 mil pessoas compareçam para conhecer como se dará a cerimônia.

Jair Bolsonaro espera mais de 500 mil pessoas em sua posse . O presidente eleito vai desfilar de carro pela Esplanada dos Ministérios e deve acenar para o público. Antes, ele passará pela cerimônia de entrega da faixa presidencial, ato que acontecerá diretamente pelas mãos do atual presidente Michel Temer.

Eleito com mais de 55 milhões de votos, Jair Bolsonaro será o 38º presidente da República do Brasil. Sua eleição encerra um período de 16 anos sem que um candidato de oposição ao PT consegue uma vitória. Michel Temer, que assumiu o posto em 2016, era vice na chapa de Dilma Rousseff (PT). O político do MDB assumiu o posto após a então presidente sofrer impeachment.

Para a cerimônia de posse , o presidente eleito convidou parentes, amigos de pescaria e os pastores Edir Macedo e Silas Malafaia , apoiadores de seu governo. Também estarão presentes chefes de Estado, políticos e os futuros ministros.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.