Tamanho do texto

Lista pessoal do presidente eleito para cerimônia tem cerca de 140 nomes, que vão de líderes religiosos a todos os integrantes da família Bolsonaro

Segurança de Bolsonaro deve ter esquema especial a partir da posse do presidente eleito, em janeiro
Tomaz Silva/Agência Brasil - 2.11.18
Segurança de Bolsonaro deve ter esquema especial a partir da posse do presidente eleito, em janeiro

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), convidou líderes religiosos, como os pastores Silas Malafaia e Edir Macedo, para sua cerimônia de posse, marcada para o dia 1º de janeiro . A informação é da Agência Brasil, que apurou que a lista de convidados pessoais do capitão da reserva inclui cerca de 140 nomes.

Além de Malafaia e do fundador da Igreja Universal do Reino de Deus e proprietário da TV Record, também constam da lista de Jair Bolsonaro os pastores Valdemiro Santiago, fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus; e Josué Valandro, presidente da Igreja Batista Atitude Central da Barra, frequentada pela futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

O presidente eleito também convidou antigos parceiros de pescaria e vários integrantes de sua família: a mãe, Olinda Bolsonaro, de 89 anos;  o único irmão do presidente eleito, Renato; além de filhos, noras, cunhados, netos e sobrinhos.

A distribuição de convites para a posse presidencial começou no último dia 10 e ainda não foi concluída. Alguns são entregues via Sedex, outros em mãos. No total, somente para a cerimônia de posse no Congresso Nacional, serão distribuídos 2 mil convites.

Para a recepção no Itamaraty, são previstos outros 1 mil convidados . Na lista protocolar estão autoridades de primeiro escalão do governo, militares de alta patente, chefes de Estado, diplomatas, parlamentares e governadores eleitos ou reeleitos de estados.

A expectativa é de que 60 delegações estrangeiras prestigiem a posse de Bolsonaro. As presenças já confirmadas são de presidentes de países vizinhos, como Maurício Macri (Argentina), Sebastián Piñera (Chile), Mario Abdo Benítez (Paraguai), Tabaré Vázquez (Uruguai), Iván Duque Márquez (Colômbia) e Marín Vizcarra (Peru).

Também vão desembarcar em Brasília, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeu, além do presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa. outro lado, 

Por outro lado, as comitivas da Venezuela de Cuba foram  desconvidadas na semana passada devido às divergências ideológicas entre os regimes dos países com o futuro presidente brasileiro.

São esperadas até 500 mil pessoas para a cerimônia de posse na Esplanada dos Ministérios e foi preparado esquema de segurança máxima para evitar qualquer tipo de contratempo . Até mesmo guarda-chuvas e carrinhos de bebê foram vetados para o evento.

Os preparativos são coordenados pelo futuro ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, junto à Polícia Federal. Até agora, o tradicional desfile em carro aberto do presidente eleito e da primeira dama está mantido, mas serão utilizados bloqueadores de sinal de telefones celulares e de drones para reforçar a segurança de Jair Bolsonaro e Michelle durante o trajeto pela Esplanada dos Ministérios.

*Com reportagem da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.