Tamanho do texto

Homem entrou na seção eleitoral munido de uma marreta e esmagou o dispositivo; veja imagem do acidente de moto, envolvendo duas mulheres

Urna eletrônica é destruída por um jovem em Santa Catarina nestas eleições 2018
Divulgação/Polícia Militar Santa Catarina
Urna eletrônica é destruída por um jovem em Santa Catarina nestas eleições 2018

Ao entrar na seção eleitoral da Escola Maurina de Souza Patrício para participar das eleições 2018, um homem de 25 anos destruiu uma urna eletrônica usando uma marreta. O caso aconteceu no bairro Graziela, em Morro da Fumaça, no sul de Santa Catarina neste domingo (7).

Leia também: Vice-prefeita de Nobres morre atropelada em frente a local de votação em MT

Segundo conhecidos do homem, ele sofria de problemas psicológicos e já tinha, inclusive, feito afirmações sobre as eleições 2018 , dizendo que esmagaria o objeto e mataria o então presidente da República, Michel Temer.

Sem policiamento fixo, outros eleitores tiveram que deter o jovem até que a Polícia Militar chegasse ao local e o levasse.

Mesmo com a atitude, o dispositivo que armazena os votos não foi afetado e a urna eletrônica destruída foi substituída por outra rapidamente. Os votos que já haviam sido computados foram passos para outra máquina, sem nenhum prejuízo,  informou a Justiça Eleitoral.

Outra situação inusitada aconteceu com duas eleitoras de São Paulo. Ao filmar a quantidade de santinhos nas ruas neste domingo, um homem conseguiu flagrar o momento exato em que duas mulheres que estavam em uma moto caíram do veículo quando passavam por uma lombada em uma rua do Parque Santa Maria, em Tatuí.

Ao saírem para votar nas eleições 2018, duas mulheres caem de moto em rua tomada por santinhos
Reprodução
Ao saírem para votar nas eleições 2018, duas mulheres caem de moto em rua tomada por santinhos

O acidente aconteceu em frente a Escola Estadual Lienette Avalone Ribeiro, que estava cheia de santinhos nas ruas ao seu redor. Apesar do susto, as duas não se machucaram gravemente, apenas escoriações nas mãos.

Eleitor denunciava a quantidade de santinhos nas ruas, prática ilegal no dia das eleições 2018, quando flagrou o acidente
Reprodução
Eleitor denunciava a quantidade de santinhos nas ruas, prática ilegal no dia das eleições 2018, quando flagrou o acidente

A manhã deste domingo também foi agitada em uma tribo indígena localizada em Brasnorte , a 580 quilômetros de Cuiabá, no Mato Grosso. O grupo, com cerca de 70 eleitores cadastrados aptos à votação, recebeu os homens do Exército que carregavam as urnas eletrônicas com flechadas.

Tribo indígena recebe exército a flechadas em Mato Grosso e FUNAI precisa ser acionada para garantir acesso a urnas eletrônicas das eleições 2018
Divulgação/TSE
Tribo indígena recebe exército a flechadas em Mato Grosso e FUNAI precisa ser acionada para garantir acesso a urnas eletrônicas das eleições 2018

Para que o Exército conseguisse finalmente acessar a tribo indígena, a Fundação Nacional do Índio (Funai) precisou ser acionada, informou o juiz auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Lídio Modesto da Silva.

“Registramos uma situação um pouco mais grave na região de Brasnorte, a 580 km de Cuiabá, em uma comunidade indígena, em que os homens da força de segurança do Exército foram recebidos com flechada s. Tivemos que acionar a Funai, para que intercedesse e em 30 minutos nós conseguimos. Lá são apenas 70 eleitores, acredito que rapidamente vamos terminar o trabalho”, disse a autoridade eleitoral.

Segundo explicou o juiz, a confusão se deu porque os índios se recusaram inicialmente a vota na seção eleitoral que foi montada na aldeia. Eles queriam votar na cidade, mas com a intermediação da Funai os ânimos foram apaziguados e os índios votaram na próprio comunidade.

Leia também: Brasileiros votam no exterior e divulgam boletins de urnas nas redes sociais

Em todo o País, as eleições 2018 se iniciaram às 8h e as urnas ficarão abertas até às 17h. Como o Brasil possui estados localizados em diferentes fusos horários, é importante ressaltar que, nesses casos, as urnas foram liberadas quando a votação já estava em andamento em outras unidades da federação.