Tamanho do texto

Candidato do PSDB alcançou 35% dos votos neste domingo e terá como adversário o atual governador gaúcho, filiado ao MDB, que somou 31,6%

Eleição no Rio Grande do Sul terá candidatos José Ivo Sartori (MDB) e Eduardo Leite (PSDB) se enfrentando no 2º turno
Porto Alegre 24 horas
Eleição no Rio Grande do Sul terá candidatos José Ivo Sartori (MDB) e Eduardo Leite (PSDB) se enfrentando no 2º turno

Os candidatos Eduardo Leite (PSDB) e José Ivo Sartori (MDB) vão disputar o segundo turno da eleição no Rio Grande do Sul para o cargo de governador do Estado. O resultado foi confirmado pela Justiça Eleitoral às 19h14 deste domingo (7) após apuração de 90,4% das urnas. A votação do segundo turno está agendada para o dia 28 deste mês.

Mais de 5,4 milhões de eleitores participaram da votação em todo o Estado neste domingo, número que equivale a 81% das mais de 8,3 milhões de pessoas que compõem o eleitorado gaúcho, quarto maior colégio eleitoral do País. O candidato Eduardo Leite recebeu 35,2% (1,9 milhão de votos) dos mais de 4,7 milhões de votos válidos registrados na eleição no Rio Grande do Sul , enquanto o candidato à reeleição, Ivo Sartori, foi escolhido por 31,5% do eleitorado gaúcho (1,7 milhão de votos).

Também foram contabilizados 17,6% de votos para Miguel Rossetto (PT); 11,2% para Jairo Jorge (PDT); e 3,4% para Mateus Bandeira (Novo). Os candidatos Roberto Robaina (PSOL) e Julio Flores (PSTU) não alcançaram 1% dos votos. Os votos para o candidato Paulo de Oliveira Medeiros (PCO) foram anulados por conta de decisão da Justiça Eleitoral. Brancos e nulos somaram mais de 755 mil votos (12,6%).

Eduardo Leite e Ivo Sartori  já poderão retomar suas campanhas nas ruas e na internet, de olho no segundo turno da eleição, a partir desta segunda-feira (8). A propaganda eleitoral no rádio e na TV será reiniciada na sexta-feira (12).

Os desafios para quem vencer a eleição no Rio Grande do Sul

Eleição no Rio Grande do Sul terá segundo turno entre Sartori e Leite, para disputar um lugar no Palácio Piratini
Wikimedia Commons
Eleição no Rio Grande do Sul terá segundo turno entre Sartori e Leite, para disputar um lugar no Palácio Piratini

Quem ocupar o posto no Palácio Piratini terá que traçar um plano para tentar diminuir os efeitos da crise econômica no Rio Grande do Sul . Com uma dívida de mais de R$ 76 bilhões, 28% maior do que em 2014, a situação financeira do estado é uma das mais críticas do País. Sem conseguir pagar em dia os servidores públicos, a gestão do governo atual foi obrigada a buscar ajuda federal.

A situação crítica da segurança pública é outra questão que preocupa os gaúchos e deve ser tratada com prioridade pelo próximo governador . O estado teve alta na taxa de criminalidade nos últimos anos e Porto Alegre é considerada a 39º cidade mais perigosa do mundo. Entre 2007 e 2017, o número de homicídios no Rio Grande do Sul aumentou 62,5%, de acordo com o próprio governo.

O vencedor da disputa entre Sartori e Leite no segundo turno da eleição no Rio Grande do Sul tomará posse no Palácio Piratini no dia 5 de janeiro. Seu mandato vai até o dia 31 de dezembro de 2021.