Tamanho do texto

Fátima alcançou 45% dos votos na eleição e terá como adversário Carlos Eduardo (32%); atual governador, Robinson Faria (PSD) teve apoio de 11%

Petista Fátima Bezerra vai para o segundo turno da eleição no Rio Grande do Norte
Divulgação/Câmara dos Deputados
Petista Fátima Bezerra vai para o segundo turno da eleição no Rio Grande do Norte

A senadora Fátima Bezerra (PT) disputará o segundo turna da eleição para o governo do Rio Grande do Norte com o prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT). O resultado foi confirmado pela justiça eleitoral às 21h deste domingo (7) após apuração de 95% das urnas. A votação do segundo turno está agendada para 28 deste mês.

Leia também: Seis em cada dez brasileiros desalentados estão na região nordeste, aponta Ipea

Mais de 1,8 milhões de eleitores participaram da  eleição no Rio Grande do Norte neste domingo, número que equivale a 82,84% das mais de 2,3 milhões de pessoas que compõem o eleitorado potiguar. Fátima Bezerra obteve 45,8% (mais de 700 mil votos) dos mais de 1,5 milhões de votos válidos registrados na eleição no Rio Grande do Norte, enquanto o candidato Carlos Eduardo foi escolhido por 32,6% do eleitorado do estado.

Leia também: O que faz o deputado estadual? Conheça seu papel e o da Assembleia Legislativa

Ficaram fora da disputa do segundo turno o atual governador Robinson Faria (PSD), 11,7%, Brenno Queiroga, 6,7%, Carlos Alberto (PSOL), 1,9%. Freitas Jr. (Rede), Heró Bezerra (PRTB) e Dário Barbosa (PSTU) tiveram 1% cada. Brancos e nulos somaram 17,5% neste primeiro turno.

Fátima Bezerra, que liderou todas as pesquisas de intenções de voto ao longo da campanha, e Carlos Eduardo já poderão retomar suas campanhas nas ruas e na internet a partir desta segunda-feira (8), mirando o segundo turno de 28 de outubro.

Os desafios para quem vencer a eleição no Rio Grande do Norte

Fátima Bezerra (PT) e Carlos Eduardo (PDT) disputarão o segundo turno no RN
Reprodução Secom governo/RN
Fátima Bezerra (PT) e Carlos Eduardo (PDT) disputarão o segundo turno no RN

A segurança pública é vista como principal desafio para o próximo governante do estado, que foi palco da morte de ao menos 22 agentes de segurança neste ano – número que ultrapassa a marca de 2017 e expõe a atual crise de violência no Rio Grande do Norte

O reequilíbrio fiscal, com a garantia da qualidade dos serviços prestados em segurança, saúde, educação e inclusão social são a base da candidatura da senadora petista. Já Carlos Eduardo, prefeito de Natal eleito em 2012 e reeleito em 2016, afirmou que o pacto político e social proposto pelo MAIS RN tem de ser cumprido e que, se eleito, o primeiro passo de seu governo será o ajuste fiscal. 

Reativar a economia local em meio às incertezas no âmbito nacional, promover melhorias na educação e reduzir drasticamente a criminalidade são grandes desafios para quem vencer a eleição para o Governo do Rio Grande do Norte . O eleito tomará posse em 5 de janeiro de 2019, no Palácio de Despachos de Lagoa Nova.