undefined
Reprodução/ Jovem Pan
'Muitos miram na divisão da sociedade, resultando na luta de classes', escreveu Jair Bolsonaro, em tweet já apagado

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, afirmou, na manhã desta terça-feira (25), que a "divisão da sociedade" é o "plano perfeito para quem quer se perpetuar no poder". A declaração foi publicada no Twitter oficial do candidato, por volta das 7h45, fixada como uma das publicações mais importantes da página, mas apagada após cerca de uma hora no ar.

Leia também: Ibope: Bolsonaro mantém liderança, Haddad se consolida em segundo lugar

"Muitos miram propositalmente na divisão da sociedade, resultando na luta de classes e no enfraquecimento de nossos valores", escreveu Jair Bolsonaro . "Pessoas divididas, sem identidade familiar e cultural são mais mais fáceis de serem controladas. É o plano perfeito para quem quer se perpetuar no poder", dizia a publicação.

undefined
Reprodução/Twitter
Tweet de Jair Bolsonaro foi apagado poucos minutos depois de ser publicado, na manhã desta terça

A postagem ocorreu poucas horas depois de ser divulgada a última pesquisa Ibope , que mostra Bolsonaro mantendo a liderança nos levantamentos sobre intenções de voto, com 28%. seguido por Fernando Haddad (PT), que se isolou na segunda posição com 22%

Rejeição de Jair Bolsonaro e a campanha #EleNão

undefined
Reprodução/Instagram
Anitta foi uma das artistas que declarou ter sido desafiada a aderir à tag contra Jair Bolsonaro

O candidato do PSL também tem sido alvo de uma campanha nas redes sociais, que estimula uma maior rejeição contra ele. Com a hashtag # elenão – promovida por uma série de mulheres influenciadoras – personalidades, artistas e também pessoas do meio político, se pronunciam contrárias ao voto em Bolsonaro , acusando-o de ser uma candidato avesso aos seus valores. Vários homens também entraram no movimento.

Ontem, durante entrevista à rádio Jovem Pan, Bolsonaro  disse que, se eleito, "não haverá espaço" para indicações políticas em ministérios. Questionado sobre críticas que o classificam como um "risco" à democracia, o presidenciável afirmou que é um "risco aos esquemas deles", citando indicações políticas.

"Essa maneira, de não aceitar indicação política, como eu tenho conversado com parlamentares, é uma maneira de resgatar, buscar o resgate da credibilidade do deputado. Não tem como aceitar", declarou o candidato do PSL.

Leia também: Bolsonaro é "ameaça para o Brasil e para a América Latina", diz The Economist

Apesar de estar em primeiro nas pesquisas de intenções de voto, Jair Bolsonaro também é líder no levantamento sobre a rejeição dos candidatos. Afinal, quando o Ibope perguntou "dentre estes candidatos a Presidente da República, em qual o (a) sr. (a) não votaria de jeito nenhum? Mais algum? Algum outro?", 46% dos eleitores citaram o presidenciável do PSL. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários