Tamanho do texto

Prazo para coligação tucana rebater acusação de composição irregular se encerra hoje; ministro dispensou produção de provas para acelerar processo

Coligação que apoia Geraldo Alckmin (PSDB) foi contestada na Justiça Eleitoral pela chapa de Meirelles
Alexssandro Loyola/Lid. do PSDB na Câmara - 13.12.17
Coligação que apoia Geraldo Alckmin (PSDB) foi contestada na Justiça Eleitoral pela chapa de Meirelles

A defesa da coligação Para Unir o Brasil, que congrega nove partidos em torno da candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência da República, tem só até as 23h59 desta segunda-feira (27) para apresentar suas alegações finais contra  ação movida pela chapa MDB-PHS no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O prazo também vale para os advogados da chapa que apoia o candidato Henrique Meirelles (MDB) levarem à Justiça Eleitoral as últimas considerações sobre o processo contra a candidatura de Geraldo Alckmin .

Nesse processo, o MDB e o PHS alegam que a coligação que apoia o ex-governador de São Paulo foi constituída de forma irregular uma vez que seis partidos (PTB, PP, PR, DEM, PRB e SD) não apresentaram à Justiça Eleitoral os documentos necessários para formalizar a aliança.

As atas entregues por essas legendas ao TSE  apontam apenas a aprovação da aliança desses partidos com o PSDB, quando "todos os partidos políticos que integram a coligação deveriam ter sido nominalmente referenciados nas atas convencionais das demais siglas que a compõem", conforme resumo do processo. Apenas o PSD e o PPS teriam seguido o procedimento correto dentre os partidos que apoiam o candidato tucano.

Leia também: Selena Gomez tucana? Diretório do PSDB em Sergipe usa foto de cantora em painel

Próximos passos e resposta de Geraldo Alckmin

Geraldo Alckmin pode perder vice, a senadora Ana Amélia (PP), caso TSE dê provimento a ação do MDB-PHS
Divulgação/Assessoria Ana Amélia
Geraldo Alckmin pode perder vice, a senadora Ana Amélia (PP), caso TSE dê provimento a ação do MDB-PHS

O relator dessa ação no TSE é o ministro Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, que dispensou a fase de produção de provas para dar celeridade ao processo e deu prazo de dois dias para o Ministério Público Eleitoral se manifestar após as alegações da defesa e da acusação.

Na semana passada, o ex-governador paulista criticou a ação movida por Henrique Meirelles , à qual chamou de "absurda". "Não há nenhuma divergência na coligação. É tapetão puro. Estive em todas as convenções", declarou o tucano.

Ter a maior aliança dentre todos os 13 presidenciáveis é fundamental para a campanha de  Geraldo Alckmin , que conseguiu o  maior tempo de exposição na televisão na  propaganda eleitoral obrigatória devido à representatividade que sua coligação tem no Congresso. Além de correr o risco de perder essa valiosa vantagem, o tucano pode ser obrigado a trocar sua vice, uma vez que a senadora Ana Amélia é filiada ao PP, um dos partidos que teriam cometido equívoco ao entregar a documentação ao TSE.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.