Tamanho do texto

Candidatos e vices foram aprovados por unanimidade pelos ministros da Corte Eleitoral; Conheça as opções para a presidência da República

13 candidatos à Presidência da República: até agora, TSE aprovou candidatura de quatro deles
iG São Paulo
13 candidatos à Presidência da República: até agora, TSE aprovou candidatura de quatro deles

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou nesta quinta-feira (23) os registros dos candidatos que disputam a presidência da República de Guilherme Boulos (PSOL), Cabo Daciolo (Patriota), João Amoêdo (Novo) e Marina Silva (Rede).

Leia também: Bolsonaro cogita não ir mais a debates: "Ele está de saco cheio", diz aliado

Os pedidos de registro dos candidatos foram deferidos pelos sete ministros da Corte Eleitoral que, por unanimidade, constataram ausência de “causa de inelegibilidade”, como condenações criminais por órgão colegiado, de acordo com o exigido pela Lei da Ficha Limpa.

Os candidatos a vice-presidente de cada presidenciável também tiveram as candidaturas aprovadas, portanto estarão concorrendo à vaga: Eduardo Jorge (PV), Sônia Guajajara (PSOL), Suelene Balduino (Patriota) e Christian Lohbauer (Novo).

As convenções partidárias que aprovaram as candidaturas também foram observadas pelos ministros. Na sessão da última terça (21), o TSE já havia aprovado também a candidatura de Vera Lúcia e seu vice, Hertz Dias, do PSTU, à Presidência. Nenhum deles foi alvo de qualquer impugnação ao registro.

Leia também: Pela primeira vez, missão da OEA acompanhará eleições no Brasil

Conheça os candidatos

Cabo Daciolo (Patriota) é um dos candidatos que não apresentou a lista de bens ao TSE
Creative Commons/Wikimedia
Cabo Daciolo (Patriota) é um dos candidatos que não apresentou a lista de bens ao TSE


  • Cabo Daciolo (Patriota)

Integrante do Corpo de Bombeiros, Cabo Daciolo, 42 anos, foi filiado ao PSOL, PTdoB e Avante. Ele ganhou notoriedade em 2011 por liderar a greve da categoria no Rio de Janeiro e foi eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro nas eleições de 2014.

Foi lançado pré-candidato em 28 de março de 2018 pelo Patriota, antigo PEN. Não apresentou lista de bens ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

  • Guilherme Boulos (PSOL)
Guilherme Boulos é um dos candidatos com menor patrimônio declarado
Reprodução/Globonews
Guilherme Boulos é um dos candidatos com menor patrimônio declarado

Boulos, de 35 anos, é natural de São Paulo, filho de médicos e professores da Universidade de São Paulo (USP). Ele é filósofo formado pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, na qual ingressou no ano 2000. Também é psicanalista, professor e escritor.

A vida política de Boulos começou em 1997, aos 15 anos, quando ingressou no movimento estudantil como militante na União da Juventude Comunista (UJC).

Depois, conheceu o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), do qual é coordenador. Declarou patrimônio de R$ 15,4 mil. Hoje, disputa o cargo pelo PSOL, em uma coligação com a chapa do PCB.

  • João Amoêdo (Novo)
João Amoêdo é um dos candidatos à presidência da República nas eleições 2018
Rovena Rosa/Agência Brasil
João Amoêdo é um dos candidatos à presidência da República nas eleições 2018

Carioca, o engenheiro de formação, João Amoêdo, de 55 anos, construiu a carreira no mercado financeiro.

Em 2009, começou a articular a criação do partido, cujo registro definitivo saiu em 2015. Foi presidente do Novo até o fim do ano passado, quando deixou o cargo para concorrer ao Palácio do Planalto em outubro.

No cadastro das candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Amoêdo tem o maior patrimônio declarado - R$ 425 milhões.

  • Marina Silva (Rede)
Entre os candidatos à presidência da República, Marina é a que disputa  o cargo pela terceira vez consecutiva
Divulgação
Entre os candidatos à presidência da República, Marina é a que disputa o cargo pela terceira vez consecutiva

Marina Silva tem 60 anos, é historiadora e disputa a eleição presidencial pela terceira vez. Ela declarou patrimônio de R$ 118,8 mil.

Em 2014, candidata pelo PSB, ficou em terceiro lugar, com mais de 20% dos votos. No ano seguinte, liderou a formalização de um novo partido, a Rede Sustentabilidade, pelo qual entra na disputa à Presidência deste ano.

Ex-senadora e ministra do Meio Ambiente, Marina nasceu em uma pequena comunidade chamada Breu Velho, no Seringal Bagaço, em Rio Branco, no Acre. Em 1984, ela ajudou a fundar a Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Acre. No ano seguinte, filiou-se ao PT.

Marina foi eleita pela primeira vez a um cargo público nas eleições de 1988, quando foi a vereadora mais votada de Rio Branco. Depois disso, foi eleita deputada estadual e senadora (dois mandatos). Foi ministra do Meio Ambiente no governo Lula.

Leia também: TV Globo decide que não fará cobertura da campanha do PT

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 7 de outubro. De acordo com o TSE, mais de 27,6 mil candidatos a presidente, governador, senador e deputado federal, estadual e distrital vão disputar os votos de 147,3 milhões de eleitores brasileiros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.