Tamanho do texto

Após reunião do Diretório Nacional do partido, realizada na sexta-feira (3), a legenda divulgou uma nota para oficializar a coligação com o PT

Pros conversou com sete partidos que lançaram pré-candidatos à Presidência e justificou a escolha pelo PT
Divulgação/ Pros
Pros conversou com sete partidos que lançaram pré-candidatos à Presidência e justificou a escolha pelo PT

O Pros anunciou que vai apoiar a candidatura do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso e condenado na Lava Jato. Após reunião do Diretório Nacional do partido, realizada na sexta-feira (3), a legenda divulgou uma nota para oficializar a coligação com o PT.

De acordo com a nota do partido, o Pros conversou com sete partidos que lançaram pré-candidatos à Presidência e justificou a escolha pelo PT argumentando apoio ao plano de governo do partido.

“Acredita-se que os ganhos sociais obtidos, iniciados pelo governo Lula e que prevaleceram ao longo dos anos, devem e deverão ter prosseguimento a partir de um novo Plano de Governo que resgate as propostas anteriormente apresentadas e que incremente os pontos defendidos”, diz a nota do partido.

"Há uma proximidade programática de ambas instituições partidárias, principalmente pela integração que houve na coligação da última Eleição Geral e participado, desde o princípio, da elaboração do Plano de Governo e composto o Conselho Político para a campanha presidencial", justificou o partido.

Neste sábado (4), a convenção nacional do PT , em São Paulo, oficializou Lula como candidato à Presidência da República. No palco, estão presentes a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, o coordenador de programa da campanha petista, Fernando Haddad, além de integrantes da Executiva Nacional, governadores, senadores e deputados. Lula foi lançado candidato da sigla, mas ainda não há nome para vice.

Leia também: Marina Silva é oficializada candidata à Presidência pela Rede

Sob gritos de " Lula livre" e "Lula presidente", filiados do partido participam do evento na tarde de hoje, no bairro Liberdade, na capital paulista, com a presença de atores, intelectuais e militantes simpáticos à sigla.

Entre outros, a ex-presidente Dilma Rousseff discursou no evento de hoje. Ela falou contra a reforma trabalhista, defendeu o papel da mulher no partido, atacou a 'venda do pré-sal a preço de banana'. Ela ainda destacou que é candidata ao Senado em Minas Gerais. “Nós queremos Lula candidato à presidência porque o povo quer”, afirmou Dilma.

O senador Eduardo Suplicy também participou da convenção hoje. Ele defendeu a candidatura do ex-presidente, atualmente preso em Curitiba (PR). Já o deputado federal Lindbergh Farias disse que "resistir com Lula talvez seja o ato mais forte de desobediência civil do povo brasileiro”.

Leia também: PSDB torna oficial candidatura de Geraldo Alckmin em convenção neste sábado

Além do Pros , o PT tem conversado com outos partidos para formar uma coligação. Os nomes de Manuela D'Ávilla (PCdoB) e Ciro Gomes (PDT) para vice de Lula ainda não foram totalmente descartados, mesmo com ambos lançados como candidatos à Presidência pelos seus partidos.

    Leia tudo sobre: Lula