Bernie Sanders e 28 congressistas americanos assinam carta criticando a prisão de Lula
Divulgação
Bernie Sanders e 28 congressistas americanos assinam carta criticando a prisão de Lula

O senador norte-americano Bernie Sanders, que foi pré-candidato à Casa Branca em 2016, assinou uma carta, ao lado de 28 parlamentares do Partido Democrata, em solidariedade a Luiz Inácio Lula da Silva. O petista cumpre pena em Curitiba após ser condenado em 2ª instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, muito embora ainda caibam recursos à condenação. Bernie Sanders e 28 congressistas dos EUA enviaram a carta ao governo brasileiro.

Leia também: 'Lula só tem chances de sair da cadeia se eu for eleito', diz Ciro Gomes

Na carta, os congressistas norte-americanos afirmam que o líder petista é alvo de "acusações não comprovadas" e de um julgamento "altamente questionável e politizado". Além disso, Bernie Sanders e 28 congressistas dos EUA denunciam a "intensificação do ataque à democracia e aos direitos humanos no Brasil".

O documento diz que o ex-presidente Lula deve responder em liberdade e que a "luta contra a corrupção não deve ser usada para justificar a perseguição de opositores políticos ou negar-lhes o direito de participar livremente de eleições".

A carta também cita o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) e diz que há evidências "críveis" do envolvimento de "membros das forças de segurança do Estado" no crime. Os dois casos são tratados como exemplos da "ameaça à democracia" no Brasil.

Você viu?

Leia também: Em carta, Lula se compara a Dom Pedro I e diz que vai criar o 'Dia do Volto'

O ex-presidente Lula está preso desde 7 de abril, após ter sido condenado em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão no "caso triplex". Ainda assim, de acordo com a pesquisa eleitoral Vox Populi/CUT, divulgada nesta quinta-feira (26), o ex-presidente lidera a corrida presidencial, alcançando 41% das intenções de voto.

Por seu alto índice de preferência junto ao eleitor, a carta dos congressistas americanos trata Lula como “o principal candidato presidencial” para as eleições presidenciais de outubro.

O documento assinado por Bernie Sanders e 28 congressistas dos EUA ainda chama o governo do presidente Michel Temer (MDB) de “extrema direita”, e critica o corte de gastos da gestão e a mudança das leis trabalhistas.

* Com informações da Ansa

Leia também: Aos gritos de 'Lula livre', grupo joga tinta vermelha em prédio do STF

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários