Tamanho do texto

Presidente assinou decreto nesta quinta-feira que reserva 30% de vagas de estágio para negros; medida se aplica à contratação de jovens aprendizes

Temer reserva 30% de vagas de estágio para negros e diz que 'a história é que vai registrar' seu governo
José Cruz/Agência Brasil/Agência Brasil
Temer reserva 30% de vagas de estágio para negros e diz que 'a história é que vai registrar' seu governo

No dia em que foi reputado como o presidente da República mais mal avaliado da história, de acordo com uma pesquisa CNI/Ibope , o presidente  Michel Temer disse, em discurso nesta quinta-feira (28), que "a história é que vai registrar" como foi o seu governo no comando do País.

“A história é que vai registrar , que vai dizer o que aconteceu nesses dois anos, dois anos e meio de governo", disse Michel Temer. "Então, eu digo: as palavras voam, mas o escrito permanece. Por isso pedi a todos que assinassem esse documento”, afirmou.

O documento ao qual Temer se refere é um termo de compromisso que reserva 30% das vagas em processos de seleção de estágio e na contratação de jovens aprendizes no serviço público para estudantes negros .

O decreto que prevê essa reserva foi assinado por ele hoje, em cerimônia no Palácio do Planalto. Além do presidente, os dirigentes de empresas do governo federal também assinaram o documento.

Leia também: Bolsonaro e Marina estão empatados na disputa pela Presidência, diz Ibope

Pelo decreto, a reserva de 30% das vagas para jovens negros em estágios e programas de aprendizado será aplicada na administração pública, autarquias, fundações públicas e sociedades de economia mista controladas pela União.

O que, segundo Temer, a "história é que vai registrar"

De acordo com o presidente Temer, ao assumir a Presidência foram estabelecidos três conceitos fundamentais que são o diálogo, a responsabilidade fiscal e a responsabilidade social. Para Temer, ao longo de sua atuação no comando do país, foi feito muito mais que em anos anteriores.

O presidente citou, em seu discurso, ações na área social como a manutenção do Bolsa Família e os reajustes no valor do benefício.

"Aqui no Brasil quando você tem um programa, chega um novo governo e a tentativa é de destruir o que o governo anterior fez. Nós, pautados pela modernidade política, fizemos o contrário, os programas que são bons, continuamos", exaltou ele.

Leia também: Lula pede que STF reverta decisão de Fachin de enviar julgamento ao plenário

Temer também mencionou o esforço para manter a responsabilidade fiscal com medidas como as reformas propostas pelo governo, coisas que, segundo ele, a " história é que vai registrar ". Durante sua gestão foi aprovada a reforma trabalhista e proposta a reforma da Previdência, por exemplo.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.