Tamanho do texto

Se no Senado os servidores foram liberados para torcer pela seleção, na Câmara, oficialmente não há nada definido; veja como será o expediente

Presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse é que não pretendia liberar os servidores na Copa do Mundo
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 25.9.17
Presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse é que não pretendia liberar os servidores na Copa do Mundo

Hoje, no dia de estreia do Brasil na Copa do Mundo, é fácil perceber o clima de festa que preenche os corredores principais do Senado e da Câmara dos Deputados, em Brasília, com comissões cada dia mais esvaziadas para deliberações.

Leia também: Calendário escolar sofre modificações durante a Copa do Mundo; veja quais

Além do impacto direto na votação de propostas mais polêmicas e importantes para o País, outro reflexo da Copa do Mundo será uma mudança na rotina de visitação ao Congresso Nacional.

Isso porque, nos dias de jogos da seleção brasileira, essas visitas, que são normalmente feitas, todos os dias, das 8h30 às 17h30, terão horário reduzido. Por exemplo, hoje, já que a seleção brasileira joga contra a Suíça, às 15h, o passeio guiado, que é gratuito, já foi encerrado às 12h30.

Leia também: Veja onde será ponto facultativo em dias de jogos do Brasil na Copa do Mundo

Nos próximos jogos, deve ser seguido o expediente já divulgado pelo Senado: ou seja, se a partida for de manhã, a jornada de trabalho terá início às 14h. Quando o jogo ocorrer à tarde, a jornada terminará às 13h.

Funcionários liberados – ou não

De acordo com o ato publicado no último dia (7), pelo primeiro-secretário do Senado, senador José Pimentel (PT-CE), nesses dias, a jornada de trabalho diária proporcional será de quatro horas para os servidores efetivos e comissionados.

O sistema de registro de ponto será programado para considerar a redução da jornada nas semanas em que houver jogo do Brasil. Não haverá necessidade, portanto, de o gestor do ponto realizar qualquer ajuste.

Já na Câmara , os servidores não foram oficialmente liberados para torcer pela seleção. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse é que não pretendia liberar os servidores, mas a expectativa entre eles é de que seja seguido o mesmo expediente determinado pelo Senado.

Leia também: Lula vai comentar Copa do Mundo em emissora de sindicalistas

Caso tenham que ficar na Casa na hora dos jogos do Brasil na Copa do Mundo , além dos bolões que já animam gabinetes e áreas administrativas, muitos já falam em organizar lanches comunitários para assistir às partidas.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.