Tamanho do texto

Modelo de negociação feito no principal Estado do País pode ser a solução para a grave crise encarada pelo Brasil nos últimos dias de paralisação

O governador de São Paulo Márcio França despontou como uma liderança para solucionar todo o caos que o Brasil se encontra depois de uma semana de greve de caminhoneiros, postos sem combustível, falta de alimentos, remédios e serviços básicos.

Leia também: Governo tem nova rodada de reuniões em busca de propostas para encerrar a greve

Novo governador de São Paulo, Márcio França desponta nas negociações com grevistas
Divulgação/Governo de São Paulo
Novo governador de São Paulo, Márcio França desponta nas negociações com grevistas

Márcio França tem comandado reuniões com algumas lideranças dos caminhoneiros grevistas e conseguiu obter sucesso em alguns pontos que o governo federal ainda não teve. O ministro Marum tem acompanhado de perto das negociações do Estado, inclusive no próprio Palácio dos Bandeirantes.

Os bloqueios no Estado de São Paulo praticamente acabaram depois de uma série de reuniões comandadas pelo governador neste sábado. Os grevistas pediam para estender de 30 para 60 dias o desconto de 10% no valor do óleo diesel cobrado na bomba, e a suspensão da cobrança de tarifa de pedágio por eixo elevado dos caminhões em todo o País.

Leia também: Ministro anuncia multa a caminhoneiros e diz que PF já pediu prisão de grevistas

Pensando em solucionar a crise, França determinou neste sábado (26) a suspensão da cobrança de tarifa de pedágio para eixo elevado dos caminhões nas rodovias paulistas, a redução de 10% no preço do diesel nas bombas dos postos e retirada das multas que foram aplicadas durante a interdições das estradas.

Além disso, o acordo também prevê a formação de um grupo de trabalho para estudar um IPVA diferenciado para a categoria dos caminhoneiros, mas isso só valeria para o imposto do ano de 2019.

O ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun, comprometeu-se a levar ao presidente Michel Temer essas propostas do movimento dos caminhoneiros e as soluções encontras em São Paulo no esforço de encerrar a paralisação que causou crise de desabastecimento no País e já chega ao sétimo dia.

Leia também: Temer ataca minoria radical de caminhoneiros e aciona Exército contra bloqueios

Resta saber se o Governo Federal está disposto a seguir o exemplo dado em São Paulo pelo Governador Márcio França e abrir o dialogo com os representantes dos caminhoneiros grevistas e chegar a uma conclusão para o impasse que se tornou a manifestação que já dura uma semana. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.