Tamanho do texto

Partido dos Trabalhadores prepara atos em diversas cidades para marcar o lançamento da pré-candidatura de Lula, que segue preso em Curitiba; para advogado, mesmo detido o petista pode concorrer à presidência

O ex-presidente Lula escreveu um artigo no Le Monde em que denuncia 'retrocessos democráticos' no Brasil
Reprodução/Le Monde
O ex-presidente Lula escreveu um artigo no Le Monde em que denuncia 'retrocessos democráticos' no Brasil

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) irá lançar sua pré-candidatura à presidência da República no domingo (27). A informação é do deputado federal e advogado de Lula, Wadih Damous (PT-RJ) , que visitou o líder petista nesta segunda-feira (21) em Curitiba, onde ele está encarcerado.

Leia também: Alckmin recebeu R$ 5 milhões da CCR via caixa 2 em campanha de 2010, afirma MPF

“O ex-presidente Lula está bem, de excelente humor, bem agasalhado e fazendo exercícios”, disse Damous após a primeira visita ao ex-presidente. “Mas está indignado com a situação de injustiça que perdura contra ele há mais de 40 dias. Ele quer ver sua inocência provada.”

De acordo com Wadih, Lula pediu que os movimentos sociais, a militância e lideranças políticas se mobilizem em todos os estados do país para o lançamento de sua pré-candidatura à Presidência da República no próximo dia 27.

Damous disse ainda que o partido prepara ações em cerca de 3 mil cidades nas para fazer o lançamento da pré-candidatura. “Não importa que cada ato tenha 500 pessoas. O que importa é o somatório. O importante é deixar claro que o presidente Lula é o nosso candidato”, disse o deputado.

Ex-presidente da Seccional da Ordem dos Advogados dp Brasil (OAB) no Rio de Janeiro, Damous acrescentou que Lula pode ser candidato à Presidência da República, mesmo detido na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. “O [ex-] presidente reafirma sua vontade de ser candidato à Presidência da República.”

Leia também: Gilmar Mendes manda soltar quatro presos suspeitos de fraudar fundos de pensão

Lula foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção.

Ele responde à acusação de ter obtido vantagens indevidas provenientes de três contratos entre a empreiteira OAS e a Petrobras. A vantagem seria um apartamento tríplex em Guarujá (SP).

Damous declarou que Lula segue disposto a provar sua inocência. “ Lula quer que se faça Justiça e o Judiciário brasileiro declare sua inocência, já que aqueles que o condenaram não conseguiram uma prova sequer contra ele. Lula também pediu para retransmitir sua indignação com o fato de que eles foram muito rápidos para condená-lo, mas os recursos interpostos por ele no STJ e STF não andam. Estão praticamente engavetados no TRF-4”, disse.

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Filha de Michel Temer diz que não guardou recibos de reforma em sua casa

    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.