Tamanho do texto

Temer visitou hospital de Ruy Muniz, ex-prefeito de Montes Claros famoso após ser preso por corrupção um dia depois de sua mulher, a deputada Raquel Muniz (PSD), votar a favor do impeachment de Dilma Rousseff

Michel Temer tem convivido com vaias e baixa aprovação em dois anos no Planalto
Lula Marques/Agência PT - 22.9.16
Michel Temer tem convivido com vaias e baixa aprovação em dois anos no Planalto

Michel Temer (MDB) esteve, nesta sexta-feira (18), na cidade mineira de Montes Claros, onde visitou um hospital e prometeu novas entregas no programa Minha Casa Minha Vida. E teve, novamente, de conviver com a rotina de vaias e protestos contrários a sua presença.

Leia também: Tucanos aconselham Geraldo Alckmin a oferecer cargo a Temer em governo

Seu primeiro compromisso na cidade foi no hospital São Lucas, administrado pelo ex-prefeito de Montes Claros, Ruy Muniz .

Muniz ganhou fama em 2016 em um caso inusitado: sua mulher, a deputada federal Raquel Muniz, votou a favor do impeachment de Dilma Rousseff (PT) e aproveitou o discurso no plenário para fazer propaganda para o marido: disse que votava pela destituição da petista para mostrar “que o Brasil tem jeito”, fato que “o prefeito de Montes Claros mostra para todos nós com sua gestão”.

Um dia após o discurso de Raquel, Ruy foi preso acusado de beneficiar seu próprio hospital com verbas da prefeitura e por suposto envolvimento em um esquema de superfaturamento de combustível.

Temer esteve no hospital acompanhado do ex-ministro Henrique Meirelles, da deputada Raquel, e de Alexandre Baldy, ministro das Cidades. Após a visita, seguiram para um condomínio de casas do conjunto Minha Casa Minha Vida, onde foram alvo de protestos.

Lá, após breve discurso em que prometeu novas entregas e investimentos no programa, gritos de “Fora, Temer” e “Lula livre” conturbaram o evento. Após a passagem por Montes Claros, a equipe do emedebista seguiu para São Paulo.

Leia também: "Posso resgatar a credibilidade do governo", garante Lula, em artigo no Le Monde

“Não me incomoda minimamente”

Vaiado em São Paulo no Dia do Trabalhador (1º de maio) enquanto visitava o local em que desabou um prédio no centro de São Paulo onde residiam trabalhadores sem teto,  Michel Temer disse não se “incomodar minimamente” com as manifestações contrárias a si.

O emedebista criticou os protestos contra ele e sua gestão que tem ocorrido nos últimos anos. Para o mandatário, falta “educação cívica” ao brasileiro que o critica.

Enquanto visitava o local do desabamento do edifício Wilton Paes de Almeida, no Largo do Paissandu, Michel Temer ouviu gritos de “ golpista ” de pessoas que não queriam sua presença no local.

Leia também: Após ser solto, Paulo Preto decide não fazer delação premiada

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.