Tamanho do texto

Juíza Carolina Lebbos, responsável pela condução da pena de Lula, havia impedido que o deputado federal Wadih Damous (PT), advogado do ex-presidente, o visitasse em Curitiba; OAB recorreu de decisão

Deputado  Wadih Damous (PT) ganhou na justiça o direito de advogar para Lula
Tomaz Silva/ Agência Brasil - 06.11.15
Deputado Wadih Damous (PT) ganhou na justiça o direito de advogar para Lula

O deputado federal Wadih Damous (PT) ganhou na Justiça o direito de advogar para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva . A informação é do jornal O Globo .

Leia também: Tucanos aconselham Geraldo Alckmin a oferecer cargo a Temer em governo

O líder petista já havia constituído Damous como seu advogado, mas a juíza Carolina Lebbos negou-se a reconhecer o status do deputado, impedindo-o de visitar Lula na prisão em Curitiba.

Frente à negativa de Lebbos, a divisão paranaense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pediu à juíza que reconsidere em sua decisão de negar o direito de visita ao advogado.

A negativa da juíza se deu no dia 23 de abril. Ela atendeu a um parecer do Ministério Público, que alegou “ausência de relevância ou motivo justo” para a visita.

À época, Wadih criticou a decisão da juíza. “Ela não tem competência pra isso. Quem diz se um advogado está impedido ou não de advogar é a OAB, não o poder judiciário”, disse.

Leia também: "Posso resgatar a credibilidade do governo", garante Lula, em artigo no Le Monde

Outro dos que criticou a decisão foi o ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. “Eu tenho visto situação abusivas escancaradamente [em relação às visitas a Lula ]. Eu soube hoje que advogados constituídos por ele não podem visitá-lo, só porque são deputados. Mas, o que é isso? É uma situação absolutamente intolerável. Eu espero que a OAB tome uma posição sobre este caso”, reclamou Cardozo .

Baseado em um procuração assinada por Lula, a OAB entrou então com um mandado de segurança para que o direito de Damous e Lula fosse preservado. A segunda instância da Justiça do Paraná reconheceu o pedido, conferindo ao deputado o direito de visitar seu cliente.

Antes, Lebbos já havia impedido que a ex-presidente Dilma Rousseff, o vencedor do Nobel da Paz Adolfo Pérez, o vereador Eduardo Suplicy e o teólogo Leonardo Boff se encontrassem com Lula.

A juíza também impediu que o médico do ex-presidente o visitasse para a realização de exames periódicos. Para ela, não havia “indicação de urgência” nos procedimentos que seriam feitos.

Leia também: Após ser solto, Paulo Preto decide não fazer delação premiada

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.