Tamanho do texto

Condenado a 12 anos e um mês de prisão, o ex-presidente petista completa, nesta segunda, o seu primeiro mês na sede da Polícia Federal, em Curitiba

O ex-presidente Lula foi preso há 30 dias,  no dia 7 de abril deste ano; ele deve cumprir 12 anos e um mês de prisão
Divulgação/Lula
O ex-presidente Lula foi preso há 30 dias, no dia 7 de abril deste ano; ele deve cumprir 12 anos e um mês de prisão

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) completa, nesta segunda-feira (7), os seus primeiros 30 dias preso na sede da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Apesar de estar detido, o petista vem se comunicando com a sua militância, por meio de cartas e comunicados. E, como era de se esperar, não deixou a data de um mês de reclusão passar em branco.

Leia também: Ministro do STF nega pedido de Lula para tirar ação sobre sítio das mãos de Moro

“Completam-se 30 dias que estou aqui aguardando que o [juiz federal Sérgio] Moro e o TRF-4 digam qual crime cometi. Não sei se meus acusadores dormem com a consciência tranquila, com a qual eu durmo. A minha tranquilidade é porque tenho vocês”, disse o ex-presidente Lula.

Condenado a 12 anos e um mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), pelo caso do tríplex do Guarujá, em São Paulo, o petista voltou a se declarar inocente nesta segunda. Afinal, de acordo com ele, não é verdade que o imóvel e a reforma feita nele sejam fruto de propina de empreiteiras em troca de contratos com o governo.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso há 30 dias na sede da Lava Jato
Divulgação/ PT/ Cláudio Kbene
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso há 30 dias na sede da Lava Jato

Na carta, o ex-presidente afirma ter “certeza” de ser “vítima de um conluio entre a imprensa e a força-tarefa da Lava Jato, que não sabem como sair da emboscada criada com tantas mentiras”.

Leia também: Paulo Okamoto diz a Moro que Lula pretendia comprar o sítio de Atibaia

Além da carta divulgada pelo partido nesta segunda, foi compartilhado pela legenda um vídeo com o último discurso de Lula antes de se entregar à Polícia Federal, no Sindicato dos Metelúrgicos de São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

Um mês de transtornos em Curitiba

Desde que o ex-presidente Lula foi preso, militantes contrários à sua detenção acampam nas proximidades da sede da Polícia Federal em Curitiba. O acampamento já chegou a ser alvo de tiros, foi palco de diversas polêmicas envolvendo lideranças da esquerda e, segundo alguns moradores da região, tem gerado transtornos.

Militantes acampam em frente à sede da PF, em Curitiba, desde que o ex-presidente Lula foi preso
Divulgação/ PT/ Cláudio Kbene
Militantes acampam em frente à sede da PF, em Curitiba, desde que o ex-presidente Lula foi preso

Devido a tal montagem no local, a prefeitura da capital paranaense chegou a solicitar a transferência do ex-presidente. Além disso, a Justiça já determinou que os movimentos desfaçam o acampamento sob uma pena de multa diária. Depois de 30 dias da prisão do petista, porém, não há sinais de que o acampamento será desmontado. 

Leia também: Doleiros de Cabral darão aulas sobre lavagem de dinheiro ao MPF

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.