Tamanho do texto

Executivo da Queiroz Galvão disse em delação premiada que o ex-prefeito de São Paulo direcionou licitação para a empreiteira em troca de doação de R$ 1 milhão para o diretório nacional do DEM, partido de Kassab na época

Dario de Queiroz Galvão Filho afirmou que doou R$ 1 milhão ao DEM, partido de Kassab na época, depois que ex-prefeito direcionou licitação para sua empreiteira
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 02.06.2015
Dario de Queiroz Galvão Filho afirmou que doou R$ 1 milhão ao DEM, partido de Kassab na época, depois que ex-prefeito direcionou licitação para sua empreiteira



O executivo Dario de Queiroz Galvão Filho, herdeiro da Galvão Engenharia , revelou em delação premiada que o então prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD, ex-DEM), direcionou a licitação da obra do túnel Sena Madureira para que a empreiteira ganhasse a disputa. Em troca, a empresa teria doado R$ 1 milhão para o diretório nacional do DEM em 2008.

Leia também: Jaques Wagner admite que PT pode ser vice na chapa de Ciro Gomes à presidência

Kassab que atualmente é Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações do governo Michel Temer já era investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeita de recebimento de vantagens indevidas da Odebrecht em 2008 e 2009 que teriam sido desviadas de contratos de obras viárias no estado de São Paulo.

Agora, numa estratégia que foi considerada pelos investigadores como "pagamento de propina via doação eleitoral ", a situação de Kassab tende a se tornar mais delicada. O termo de colaboração do executivo já foi anexado aos autos de inquérito que tramita no STF.

Dario relatou ao Ministério Público Federal que, em 2008, foi procurado por um sócio do grupo Galvão, que o informou de um encontro com Kassab. No encontro deste com o ex-prefeito, teria sido discutida uma obra a ser licitada pela Prefeitura e “oferecido o direcionamento do certame em favor da Galvão Engenharia”, em contrapartida a valores que deveriam ser repassados mediante doação para a campanha de Kassab, que concorreria à reeleição.

Leia também: MP vai reabrir investigação sobre condições do prédio que desabou em SP

Dario disse que, após a publicação do edital da obra, “a empresa entendeu que deveria cumprir com o compromisso, sendo autorizado o pagamento de R$ 1 milhão em favor do Diretório Nacional do DEM”.

Kassab nega tudo

Gilberto Kassab nega acusações de que teria recebido propina via doação eleitoral quando ainda era prefeito de São Paulo, em 2008
Lucio Bernardo Jr. /Câmara dos Deputados - 22.9.15
Gilberto Kassab nega acusações de que teria recebido propina via doação eleitoral quando ainda era prefeito de São Paulo, em 2008


A assessoria do ex-prefeito e atual ministro Gilberto Kassab informou que “a licitação, realizada pela Prefeitura, ocorreu de forma lícita e transparente, obedecendo a todas as disposições legais”. Ainda segundo os assessores, “as doações recebidas seguiram a legislação vigente”. Já seu ex-partido, o Democratas não se manifestou. As informações foram apuradas pelo O Estado de S. Paulo .

Leia também: Bandidos trocam tiros com a polícia, roubam viatura e fazem reféns no Ibirapuera

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.