Tamanho do texto

Interrogado pela PF, ex-deputado Ronaldo Cezar Coelho afirmou ter recebido 6,5 milhões de euros do partido tucano; pagamento seria referente ao empréstimo de aeronave para campanha de José Serra em 2010

Empresário afirmou ter recebido 6,5 milhões de euros do PSDB em conta na Suíça entre 2009 e 2010
Divulgação/PSD
Empresário afirmou ter recebido 6,5 milhões de euros do PSDB em conta na Suíça entre 2009 e 2010

O empresário e ex-deputado federal Ronaldo Cezar Coelho (PSD-RJ) declarou ter recebido do PSDB 6,5 milhões de euros em uma conta na Suíça. A verba teria sido transferida em 2009 e 2010, de acordo com seu depoimento à Polícia Federal em fevereiro deste ano.

Leia também:Procuradoria pede o envio de inquérito contra Alckmin à primeira instância

De acordo com Coelho, o PSDB pagava o empresário pelo uso de um avião que era dele. O partido usava a aeronave para atividades durante a campanha presidencial do PSDB em 2010, quando o senador José Serra (PSDB-SP) foi candidato. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

O ex-deputado foi interrogado no inquérito que apura se recursos do Rodoanel Trecho Sul, em São Paulo, teriam sido usados na campanha de Serra. A investigação está no Supremo Tribunal Federal (STF) e baseia-se na delação da Odebrecht e outros ex-executivos da Andrade Gutierrez e OAS.

Coelho afirmou à PF que já em 2009 o PSDB usava seu avião, quando o então presidente da sigla, Sérgio Guerra - que faleceu em 2014 -, viajava para conseguir apoio político. “Que no ano de 2009 o presidente do PSDB à época, então senador Sergio Guerra, realizou diversas viagens pelo Brasil com o objetivo de filiação no PSDB de líderes políticos locais para fortalecer a próxima candidatura para a Presidência da República, que ocorreria em 2010”, disse em depoimento.

Os pagamentos teriam seriam feitos para uma operadora de táxi aérea, conforme pedido do empresário, mas o tucano teria dito que “somente poderia efetuar os pagamentos diretamente no exterior”. Coelho disse que não sabe a “origem dos recursos depositados”.

Leia também: TSE manda PSDB devolver R$ 5,4 milhões e barra repasses do fundo partidário

Questionado sobre o motivo pelo qual o pagamento teria que ser feito em outro país, Coelho também afirmou que não sabe, mas que aceitou a proposta e indicou uma conta que tinha na Suíça desde 1984.

Segundo o empresário, em 2016, aproveitando o programa do governo de repatriação de recursos, trouxe R$ 23,8 milhões que mantinha no exterior para o Brasil.

Depoimento Odebrecht

Em seu acordo de delação premiada, o ex-diretor da Odebrecht Carlos Armando Paschoal, conhecido como Cap, afirmou ter pago ilegalmente R$ 23 milhões para a campanha de Serra em 2010 e Coelho teria sido responsável pelo acerto de parte desse valor.

Logo quando vieram à tona os primeiros trechos da delação da Odebrecht, em 2017, o advogado Coelho, Antônio Cláudio Mariz, já havia afirmado que o pagamento era referente ao empréstimo do avião. À PF, o empresário declarou não ter conhecimento de pagamentos da Odebrecht.

Leia também: Aécio Neves depõe em investigação da Lava Jato sobre repasse de empreiteiras