Tamanho do texto

Segundo o PT, militantes do MST foram vítimas de agressão por integrantes de uma torcida organizada do Coritiba; torcida diz que petistas feriram torcedores com martelo e facão; Polícia Civil promete investigar o caso

Acampamento de apoiadores de Lula foi transferido de endereço após acordo entre organizadores e a prefeitura
Ricardo Stuckert - 9.4.18
Acampamento de apoiadores de Lula foi transferido de endereço após acordo entre organizadores e a prefeitura

Participantes do acampamento em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em Curitiba dizem ter sido vítimas de agressão na noite dessa terça-feira (17). Em nota, o Partido dos Trabalhadores alega que militantes do Movimento dos Sem Terra (MST) foram atacados por integrantes da torcida organizada Império Alviverde, do Coritiba, que estariam armados com barras de ferro. Já a Império Alviverde diz que os torcedores reagiram a provocações dos petistas e que eram os sem-terra que estavam armados. A Polícia vai investigar o episódio.

De acordo com o presidente do diretório estadual do PT no Paraná, Doutor Rosinha, a confusão ocorreu no momento em que o acampamento era transferido das proximidades da sede da Polícia Federal, onde Lula está preso, para dois terrenos particulares. A mudança foi resultado de um acordo entre os organizadores do ato e a Prefeitura de Curitiba após disputa judicial .

O PT afirma que seus manifestantes foram surpreendidos por volta das 19h30 na Avenida Paraná, no trajeto entre a sede da Polícia Federal e o terreno onde foram montadas as barracas do acampamento. O partido classificou o episódio como um "ataque" e afirmou que as agressões foram promovidas por um grupo de torcedores que portavam barras de ferro e pedaços de madeira.

A legenda diz que integrantes do MST ficaram feridos e foram atendidos por uma ambulância contratada pela própria organização do acampamento. O número exato de militantes feridos e a gravidade de seus ferimentos não foram informados.

Leia também: Juízes do Paraná dão "vergonha", diz Gleisi após juiz vetar acampamento pró-Lula

A versão da Império Alviverde

Procurada pela reportagem do iG , a torcida organizada Império Alviverde confirmou que houve confronto com militantes do MST e PT, mas negou que os torcedores estivessem portando qualquer tipo de arma. "Os torcedores estavam se deslocando para o estádio. Nem teria como ficar andar por aí com barras de ferro. As 'armas utilizadas' vieram do lado deles", disse um representante da agremiação que pediu para não ser identificado.

De acordo com o torcedor, os participantes do acampamento começaram a provocar os apoiadores do Coritiba pelo fato de o clube estar disputando a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro (o time jogou contra o Atlético-GO na noite dessa terça-feira, no estádio Couto Pereira). "Daí aconteceu uma confusão generalizada", narrou o representante da Império Alviverde.

Ainda segundo esse torcedor, duas pessoas teriam se ferido no confronto. Um deles sofreu fratura no braço supostamente provocada por golpe com um facão, e o outro torcedor teve ferimento na cabeça após ter sido atingido por um martelo.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública do Paraná disse que "não compactua com qualquer ato de violência" e que a Polícia Civil vai investigar os responsáveis pelo confronto entre torcedores e manifestantes. A pasta ainda reclamou que não foi informada sobre os locais onde os manifestantes estão acampados, mas garantiu que foram deslocadas viaturas da Polícia Militar para o novo acampamento pró- Lula .

Leia também: Objetos pessoais do ex-presidente Lula são roubados em Curitiba

    Leia tudo sobre: Lula