Tamanho do texto

Em primeira reunião com equipe que sofreu 13 trocas, presidente disse que mudanças não são "admissíveis" e que "se pode fazer muito" em 9 meses

Presidente Michel Temer fez sua primeira reunião com nova equipe ministerial no Palácio do Planalto
Marcos Corrêa/PR - 12.4.18
Presidente Michel Temer fez sua primeira reunião com nova equipe ministerial no Palácio do Planalto

O presidente Michel Temer realizou nesta quinta-feira (12) a primeira reunião com sua nova equipe ministerial, que teve  13 mudanças nas últimas semanas devido à saída de chefes de Estado para a disputa das eleições deste ano.

No encontro, realizado no Palácio do Planalto, Michel Temer pregou a "continuidade" do trabalho que vinha sendo realizado pelo governo e alertou que mudanças não serão "admissíveis".

"Que nós possamos prosseguir com as mesmas teses, os mesmos programas e as mesmas vitórias que nós temos tido nestes quase dois anos de governo. As vezes um ministro pode chegar e entender que pode modificar seja a estrutura ou sejam os programas do ministério. E isso, neste momento, devo alertar, não é razoável e nem admissível. Os senhores vão dar continuidade ao trabalho que vem sendo desenvolvido", disse o presidente. 

Apesar de repetidamente bater na tecla da "continuidade", Temer disse que "podem haver programas novos" e que ainda "há muito a ser feito". "Temos mais nove meses de governo, o que significa que muito se pode fazer. Desde o começo, eu me recordo, diziam que o governo tem pouco tempo e não iria conseguir fazer nada. Mas fizemos muito e temos muito a fazer ainda", reforçou o presidente. 

Temer também orientou os novos ministros a "não se importarem com críticas" e a permearem suas ações nos "princípios básicos esculpidos no texto constitucional". "Olha aqui: não vamos nos incomodar com críticas. Não vamos nos incomodar com aqueles que querem dizer 'Não pode, etc.'. Nós vamos em frente. Enquanto as pessoas protestam, a caravavana aqui do governo vai trabalhando", disse o emedebista.

Leia também: Quem é o novo ministro responsável por comandar economia brasileira até outubro

Dança das cadeiras nos ministérios de Temer

Recém-filiado ao MDB de Michel Temer, ex-ministro Henrique Meirelles foi uma das principais baixas no governo
Divulgação/MDB - 3.4.18
Recém-filiado ao MDB de Michel Temer, ex-ministro Henrique Meirelles foi uma das principais baixas no governo

Participaram do encontro os novos ministros da Educação (Rossieli Soares); do Desenvolvimento Social (Alberto Beltrame); da Fazenda (Eduardo Guardia); do Planjemanto (Esteves Colnago); de Minas e Energia (Moreira Franco); do Esporte (Leandro Cruz Fróes da Silva); do Turismo (Vinicius Lummertz); da Integração Nacional (Antônio de Pádua de Deus); da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Marcos Jorge); dos Direitos Humanos (Gustavo Rocha); e do Trabalho (Helton Yomura).

A reforma ministerial na equipe do governo é resultado de uma regra da legislação eleitoral, que obrigou todos os ocupantes de cargos no Executivo com pretensões eleitorais a deixarem suas funções até a última sexta-feira (6).

Principal nome da equipe econômica da gestão Michel Temer , o agora ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles foi uma das principais baixas do governo. Ele se filiou recentemente ao MDB, partido de Temer, e pretende ser candidato à Presidência da República nas eleições de outubro.

Leia também: STF retoma julgamento do habeas corpus de Palocci; recurso de Maluf está na fila