Tamanho do texto

Depois de uma primeira tentativa frustrada por manifestantes, ex-presidente recebeu ultimato e conseguiu deixar sindicato a pé às 18h50

O ex-presidente Lula já está em posse da Polícia Federal. Depois de uma primeira tentativa frustrada por manifestantes por volta das 16h30, o ex-presidente deixou o Sindicato do Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, a pé por um dos portões, atravessou a rua escoltado por seguranças, entrou num galpão particular e conseguiu acessar uma rua lateral onde o comboio da Polícia Federal lhe aguardava desde o começo da tarde de hoje (7).

Leia também: Siga ao vivo a prisão do ex-presidente Lula

Após a prisão, houve manifestações populares pró e contra Lula em várias cidades. Em São Paulo, para onde o ex-presidente foi conduzido para fazer o exame de corpo de delito, manifestantes aguardaram na porta da sede da Polícia Federal e chegaram a entrar em confronto após a chegada do comboio.

No Twitter, pré-candidatos à presidência da república também repercutiram a prisão :

Jair Bolsonaro

O deputado federal Jair Bolsonaro que, com o impedimento de Lula em concorrer à presidência, deve herdar a primeira colocação nas pesquisas de intenção de voto se limitou a postar um bandeira do Brasil no seu perfil no Twitter:

O tweet ressoa com outra mensagem que Bolsonaro publicou quando o juiz federal Sérgio Moro decretou a prisão de Lula na quinta-feira (5):

Geraldo Alckmin

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e pré-candidato à presidência da República pelo PSDB também postou uma mensagem em sua conta no twitter logo depois que o ex-presidente Lula se entregou. No entanto, não ficou claro se a mensagem já estava agendada ou faz menção direta à prisão de Lula. Alckmin fala sobre "casa derramuda" e "recolocar o Brasil nos trilhos".

Álvaro Dias

Outro pré-candidato à presidência que se manifestou foi o senador Álvaro Dias. Nesse caso, o político postou um vídeo onde afirmou que o Brasil ainda não pode comemorar “uma nova Justiça”, mas que se aproxima disso.

Manuella Dávilla

Já a pré-candidata pelo PCdoB Manuella Dávila publicou a foto de uma longa nota oficial do partido afirmando que Lula é um preso político e que "a liberdade de Lula deve ser, a partir de hoje, uma bandeira a ser erguida bem alto por todas as forças democráticas, populares e patrióticas":

Outros pré-candidatos como Guilherme Boulos (PSOL), Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede), Rodrigo Maia (DEM) e Flávio Rocha (PRB) ainda não tinham se manifestado até o fechamento dessa reportagem. Candidatos a outros cargos nas eleições 2018, porém, também se manifestaram e tentaram capitalizar a prisão do ex-presidente Lula:

João Dória

O ex-prefeito de São Paulo e pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB João Dória postou vídeo no Twitter falando sobre a prisão do ex-presidente Lula. O tucano que encampou um discurso radical de oposição ao PT na sua campanha e na sua gestão a frente da capital paulista classificou a prisão de Lula como uma vitória da justiça brasileira:


Eduardo Suplicy

Já o vereador paulistano e pré-candidato do PT a uma cadeira no senado por São Paulo Eduardo Suplicy repetiu uma mensagem dada pelo próprio Lula no discurso de hoje cedo e disse que "aprisionaram Lula, mas suas ideias seguirão florescendo", junto a uma imagem de Lula no meio da multidão:


Lindbergh Farias

O senador do PT pelo Rio de Janeiro Lindbergh Farias fez três postagens no Twitter depois que Lula se rendeu à prisão.

No primeiro ele postou um vídeo do momento em que Lula sai a pé do Sindicato dos Metalúrgicos, no qual afirma que a pena do ex-presidente é ilegal e ilegítima:


No segundo, Lindbergh se pergunta porque os agentes federais ficam filmando e fotografando o ex-presidente Lula e ironiza:




No último, o senador que deve se candidatar à reeleição em 2018 posto novo vídeo no qual afirma que Lula roubou os holofotes de Moro, que foi preso como ele quis e não como o juiz determinou e que saiu da situação "gigante":


    Leia tudo sobre: Lula