Tamanho do texto

Movimento Brasil Livre compartilhou post com convocação em suas páginas oficiais no Facebook e no Twitter. Mais cedo, petistas já ocupavam o local

O Movimento Brasil Livre (MBL) convocou seus apoiadores de Curitiba a comparecerem em frente ao prédio da Polícia Federal para receber o ex-presidente Lula.  O grupo que faz forte oposição ao PT ignorou, porém, que a próprio PF fez um cerco no local e que, hoje, mais cedo, apoiadores e militantes petistas já ocupavam o local.

Leia também: Pré-candidatos à presidência repercutem prisão do ex-presidente Lula

Compartilhando o post no Twitter e no Facebook, o MBL pediu atenção a todos da "República de Curitiba", termo popularizado depois que o juiz federal Sérgio Moro começou a se destacar no comando da Operação Lava Jato em primeira instância.


Ao longo do dia, o MBL também fez outra convocação : um panelaço no horário do Jornal Nacional em comemoração à prisão do ex-presidente; a exemplo do que já tinha feito em diversos momentos quando defendia o impeachment da ex-presidnete Dilma Rousseff. As publicações, porém, se tornaram mais frequnete após o ex-presidente Lula se entregar à Polícia Federal por volta das 18h50 e acabar efetivamente preso.

O ex-presidente Lula deverá cumprir uma pena de 12 anos e 1 mês de prisão , além de pagar multa de pouco mais de R$ 1 milhão. A ordem de prisão expedida pelo juiz Sérgio Moro na última quinta-feira (5) determinou que o líder petista deveria pelo menos começar a cumprir sua pena em Curitiba, onde responde a outros processos criminais. Para isso, a Polícia Federal preparou uma sala exclusiva para o ex-presidnete na própria sede da PF na capital paranaense.

Leia também: Lula faz discurso inflamado em frente a Sindicato antes de ser preso

O MBL chegou a questionar o que considerou um "priviégio" concedido a Lula e também a demora para que a polícia executasse a prisão do ex-presidente. Na mesma ordem de prisão decretada por Moro, o juiz dava até às 17h de sexta-feira (6) para que Lula se apresentasse voluntariamente na sede da PF em Curitiba. O ex-presidente preferiu não fazer isso e permanecer na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de ABC Paulista, em São Bernardo do Campo, onde se entregou apenas na noite deste sábado (7). 

    Leia tudo sobre: Lula