Tamanho do texto

Juiz Sérgio Moro ordenou que o petista se apresente à PF até as 17h de sexta-feira; jornal francês "Le Monde" destacou a notícia na manchete do site

Ordem de prisão de Lula é manchete do jornal francês
Reprodução
Ordem de prisão de Lula é manchete do jornal francês "Le Monde"

A ordem de prisão contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quinta-feira (5) é destaque de alguns dos principais jornais da imprensa internacional. Dando o destaque da manchete do site, o jornal francês “Le Monde” escreveu "Um juiz brasileiro emite um mandado de prisão contra o ex-presidente Lula". No texto, o jornal francês destaca a "queda do ícone da esquerda brasileira".

Também com manchete e destaques no site, o argentino "Clarín" ressaltou que o ex-mandatário tem até esta sexta-feira (6) para se entregar. Já o espanhol "El País" destacou que a decisão do juiz Sérgio Moro surpreendeu Lula , que estava reunido com líderes do PT no Instituto Lula. A manchete da versão online do jornal argentino La Nación cita a “tensão no Brasil”, com o prazo dado pelo juiz Sérgio Moro para que o petista se entregue até as 17h desta sexta-feira (6).

O americano "New York Times"  publicou um texto da agência Associated Press que diz que a ordem de Moro "dá um grande golpe ao líder outrora amplamente popular que estava tentando montar um retorno político antes das eleições de outubro". 

O também americano "Washington Post" afirmou que a decisão de Sergio Moro "mergulha o Brasil em 'caos político' antes de eleição presidencial" e "deve galvanizar protestos generalizados em um país já abalado por uma decisão do Supremo". 

O jornal destaca ainda que a decisão de quarta-feira (4) do Supremo tibunal Federal (STF), de rejeitar o pedido de habeas corpus preventivo para o ex-presidente, "efetivamente removeu o favorito na eleição presidencial do Brasil ainda este ano" e que esse "vácuo instantâneo reformula o cenário político no maior país da América Latina".

Já o jornal britânico "The Guardian" ressalta que a decisão é um "sério golpe à sobrevivência política do primeiro presidente da classe trabalhadora do Brasil e potencialmente aprofundará as divisões no país, que tem sido atormentado por episódios de violência política". 

O italiano "la Repubblica" deu destaque ao prazo dado por Moro para o ex-presidente se entregar. "Mandado de prisão para Lula: ele tem 24 horas para se apresentar na prisão", afirmou o maior jornal de Roma. Em Milão, o "Corriere della Sera" salientou as condições estabelecidas pelo juiz federal: "Cela especial e nada de algemas". "O país está com a política em pedaços, entre jogos de cena e acusações de golpe", disse o diário.

Prisão

O juiz Sérgio Moro ordenou a prisão do ex-presidente e deu prazo até as 17h desta sexta-feira (6) para o petista se entregar. O despacho do juiz da Lava Jato foi proferido no fim da tarde desta quinta-feira (5), menos de 24 horas após o Supremo Tribunal Federal (STF) abrir caminho para a prisão do petista ao rejeitar o habeas corpus de sua defesa.

Responsável por condenar, na primeira instância, o ex-presidente por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá (SP), Moro justificou a concessão de prazo para o petista se entregar voluntariamente alegando a "dignidade do cargo" que o petista ocupou. O juiz de Curitiba também proibiu que sejam utilizadas algemas no ex-presidente.

A maioria dos ministros do STF decidiu nesta quarta-feira (4) que o juiz Sérgio Moro poderia ordernar a prisão imediata do ex-presidente tão logo seu processo fosse encerrado no Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-4).Os advogados do ex-presidente passaram então a defender o entendimento de que a tramitação dessa ação penal ainda não se exauriu, uma vez que ainda serão apresentados embargos de declaração sobre os embargos de declaração já rejeitados pelo TRF-4.

Em seu despacho, o juiz Moro considerou que não caberia aguardar o julgamento desse tipo de recurso da defesa de Lula pois, em seu entendimento, esses novos embargos "constituem apenas uma patologia protelatória".

    Leia tudo sobre: Lula