Tamanho do texto

Embora tenha prestado depoimento à PF em novembro de 2017 e não tenha falado sobre esse assunto, José Yunes garante que não omitiu informações

Advogado José Yunes vendeu uma casa à primeira-dama, Marcela Temer, em 2010, no Alto de Pinheiros, em São Paulo
Reprodução/Facebook
Advogado José Yunes vendeu uma casa à primeira-dama, Marcela Temer, em 2010, no Alto de Pinheiros, em São Paulo

O advogado José Yunes , amigo do presidente da República, Michel Temer (MDB), vendeu um imóvel à primeira-dama, Marcela Temer, em 2010. Tal informação foi revelada pelo próprio Yunes, em depoimento à Polícia Federal na semana passada, e confirmada pelo Palácio do Planalto nesta terça-feira (3). 

Leia também: PGR denuncia deputado Arthur Lira por lavagem de dinheiro

O imóvel vendido a Marcela Temer fica localizado no bairro de Alto de Pinheiros, na zona oeste da capita paulista. Hoje, a casa é alugada pela primeira-dama, que, segundo o Planalto, registra o imóvel em seu imposto de renda.

A confirmação do Planalto sobre o assunto foi dada exclusivamente à Rede Globo .  De acordo com a emissora, Michel Temer fez uma doação de cerca de R$ 800 mil para Marcela em 2010 e tal dinheiro era destinado ao imóvel de Yunes, em Alto de Pinheiros.

Depoimento de Yunes cita Marcela Temer

As declarações dos assessores de Temer batem com as de Yunes, no depoimento prestado semana passada, quando foi preso – junto a outros amigos do presidente da República – pela Operação Skala, que investiga irregularidades no decreto dos portos.

Em seu depoimento, o advogado foi questionado sobre tal transição e sobre negócios com familiares do presidente. Só então comentou sobre essa casa na zona oeste de São Paulo.

Leia também: Com Lula candidato, 'não haverá alternativa' a não ser intervenção, diz general

Antes disso, em novembro de 2017, quando prestou outro depoimento à Polícia Federal sobre a mesma operação, Yunes havia dito que o único negócio que havia feito com Temer foi há mais de 20 anos, quando vendeu uma sala comercial ao presidente, local onde funciona o seu escritório político.

Agora, sobre a nova informação revelada à Polícia Federal, o amigo de Temer  negou à imprensa ter omitido informações. Disse que, ao contrário, respondeu em 2017 "exatamente ao que lhe foi perguntado". Veja a nota enviada pela defesa do advogado:

"O inquérito apura temas do setor portuário. No primeiro depoimento, José Yunes não foi questionado sobre transações imobiliárias com familiares do presidente. Portanto, não omitiu nenhuma informação, respondeu exatamente ao que lhe foi perguntado. Não lhe pode ser exigido poderes premonitórios para responder perguntas que não foram feitas.

Ao ser perguntado pela primeira vez sobre esse tema, Yunes esclareceu que a venda do imóvel foi realizada dentro das normas imobiliárias, pelo valor do mercado e está corretamente registrada no seu imposto de renda."

Leia também: Operação Xeque-Mate da PF prende prefeito e vereadores de Cabedelo, na Paraíba

Assim como Temer não comentou diretamente a respeito da prisão dos seus amigos na semana passada, Marcela Temer também não se pronunciou pessoalmente sobre a citação do seu nome no depoimento de Yunes. Bastando, apenas, a confirmação oficial do Palácio do Planalto sobre o assunto. 

    Leia tudo sobre: casa