Paulo Maluf foi condenado por lavagem de dinheiro envolvendo propina recebida quando ele era prefeito de SP
Wilson Dias/Agência Brasil - 13.10.17
Paulo Maluf foi condenado por lavagem de dinheiro envolvendo propina recebida quando ele era prefeito de SP

O deputado afastado Paulo Maluf (PP-SP) deixou nesta sexta-feira (30) o Hospital Ortopédico e Medicina Especializada (Home), em Brasília, e seguiu para São Paulo, onde, cumprirá prisão domiciliar. Maluf estava internado desde quarta-feira (28) , devido a dores lombares e infecção no pulmão.

Segundo a assessoria de imprensa do hospital, o deputado deixou o local às 11h40. O boletim médico diz que o político, de 86 anos, apresentou "melhora significativa do quadro álgico lombar irradiado".  O boletim explica ainda que, após exames, foi constatada uma infecção no pulmão esquerdo e que Paulo Maluf  está sendo tratado com antibiótico.

O hospital acrescenta que o deputado "tem indicação de continuidade do tratamento e realização de novos exames" e que "optou por fazê-lo na cidade onde reside". O médico particular da família acompanha Maluf na viagem.

Prisão domiciliar

Na última quarta-feira (28), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli concedeu uma liminar para que Maluf cumpra prisão em regime domiciliar . Na decisão, o magistrado ressaltou que a decisão ainda deve ser analisada pelo plenário da Corte.

Na decisão, o ministro entendeu que exames protocolados pelos advogados do deputado mostram que Maluf passa por graves problemas de saúde e não pode continuar na prisão.

Você viu?

“A notícia divulgada na manhã desta quarta-feira de que ele foi internado às pressas em hospital no fim da noite passada, por complicações no seu estado de saúde, corroboram os argumentos trazidos à colação pela defesa, bem como reforçam, pelo menos neste juízo de cognição sumária, a demonstração satisfatória, considerando os documentos que instruem este feito, da situação extraordinária autorizadora da sua prisão domiciliar humanitária”, decidiu o ministro.

Cassação do mandato

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados se reuniu na terça-feira (27) para discutir os processos que pedem a cassação dos mandatos de Maluf, de Lúcio Vieira Lima (MDB-BA) e de mais dois parlamentares por quebra de decoro parlamentar.

Leia também: Coronel Lima, amigo de Temer preso na Operação Skala, é ouvido pela PF

Paulo Maluf está afastado de seu mandato e é alvo de ação protocolada no conselho pela Rede Sustentabilidade.  A defesa informou que o processo ainda será analisado pelo plenário do STF e, portanto, não se pode falar em cassação.

* Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários