Tamanho do texto

Sem provas, pré-candidato à Presidência disse que "está na cara" que os tiros foram dados por alguém de dentro do partido; ontem, menos de 24 horas após ataque, deputado brincou com um boneco de Lula, simulando agressão

Acusado de ter incentivado violência contra petistas, Jair Bolsonaro negou qualquer responsabilidade sobre tiros
Reprodução/Twitter
Acusado de ter incentivado violência contra petistas, Jair Bolsonaro negou qualquer responsabilidade sobre tiros

O último dia da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo Sul do País, nesta quarta-feira (29), foi marcado por trocas de acusações entre aliados do petista e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ), pré-candidato à Presidência da República, que também estava no Paraná, participando de uma comitiva na noite de ontem.

Acusado pelos simpatizantes de Lula de ter incentivado violência contra petistas, Jair Bolsonaro negou qualquer responsabilidade sobre o ataque a tiros ocorrido no último domingo contra dois ônibus da caravana do ex-presidente . Além disso, o deputado chegou a sugerir, mesmo sem provas, que os tiros teriam sido disparados por membros da comitiva do petista.

“Está na cara que alguém deles deu os tiros. A perícia deverá ficar pronta entre hoje (quarta) e amanhã (hoje) e vai apontar a verdade”, disse o deputado, em um comício em Ponta Grossa.

Jair Bolsonaro ironiza ataque a tiros

Jair Bolsonaro incita violência contra boneco de Lula; foto teria sido tirada durante comício nessa quarta-feira
Reprodução/Twitter
Jair Bolsonaro incita violência contra boneco de Lula; foto teria sido tirada durante comício nessa quarta-feira

Em quase dez dias de trajeto pelo Sul do País, a comitiva do ex-presidente petista enfrentou diversas manifestações. Antes de serem atingidos por tiros, os ônibus e carros da caravana chegaram a tomar pedradas e foram sujos por ovos lançados contra eles.

Antes do comício, quando desembarcou em Curitiba pela manhã, Bolsonaro já havia ironizado alguns desses ataques, dizendo que “Lula quis transformar o Brasil num galinheiro" e que "agora está por aí colhendo ovos por onde passa” .

Na mesma ocasião, Bolsonaro falou sobre a possibilidade de prisão de Lula, citando sua fama de apreciador de bebidas alcoólicas. “Não quero ele na cadeia. Quero ele em cana. Ele não gosta tanto de cana? Vai levar cana”, brincou o presidenciável.

Segundo jornalistas que acompanharam o evento, no comício, o deputado federal teria recebido um boneco do ex-presidente, com o que encenou uma cena de violência, simulando tiros contra o petista. Uma foto que supostamente mostra a cena protagonizada por Jair Bolsonaro ontem tem circulado nas redes sociais nesta quinta-feira (29).

Leia também: Bolsonaro diz querer ver Alexandre Frota como ministro da Cultura

    Leia tudo sobre: lula