Tamanho do texto

Chefe da pasta do Desenvolvimento Social, Osmar Terra foi vítima de um criminoso que pedia dinheiro aos contatos do ministro pelo aplicativo

Ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra disse que denunciou clonagem de seu WhatsApp à Polícia Federal
Wilson Dias/Agência Brasil - 7.11.2016
Ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra disse que denunciou clonagem de seu WhatsApp à Polícia Federal

"Prezados amigos e parceiros do WhatsApp. Meu número de telefone foi clonado", dizia mensagem distribuída na última semana pelo ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra (MDB), aos seus contatos no aplicativo de mensagens.

Leia também: Conselho de Ética discute hoje cassação do mandato de Maluf e do irmão de Geddel

De acordo com o  ministro , o criminoso responsável por clonar seu número (rotulado por Osmar Terra de "vigarista") passou a pedir dinheiro aos seus amigos durante cerca de 40 minutos no último dia 14. Alguns de seus contatos acreditaram que, de fato, tratava-se de um pedido do emedebista e foram instruídos pelo criminoso a tranferir valores para uma conta no Maranhão.

Osmar Terra disse que a clonagem de seu chip ocorreu devido a uma "falha clamorosa" de sua operadora telefônica, que teria permitido que outra pessoa transferisse seu número para um novo aparelho. 

"Desconfio de conivência de funcionários. Denunciei na Polícia Federal e estou processando a operadora", afirmou o chefe do Desenvolvimento Social no governo Michel Temer. "Se alguém foi enganado pelo hacker, por favor me avise. Lamento pelo transtorno!", escreveu Terra.

Leia também: STF julga hoje se torna Romero Jucá réu em nova ação penal da Operação Zelotes

Situação recorrente

O emedebista está longe de ter sido o primeiro político a sofrer com esse tipo de prática nos últimos meses. Na própria Esplanada dos Ministérios, também já foram vítimas desse tipo de golpe os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Carlos Marun, da Secretaria de Governo.

No Congresso também não é diferente. O deputado Arthur Maia (PPS-BA), relator da proposta da reforma da Previdência na Câmara, também já teve seu WhatsApp clonado por criminosos, bem como o petista Paulo Teixeira (SP).

De acordo com reportagem publicada no início do mês pelo portal Uol, a Polícia Legislativa chegou até mesmo a emitir um comunicado orientando os parlamentares a instalarem mecanismos de segurança em seus aparelhos celulares e protegessem suas no aplicativo de mensagens com verificação por senha e e-mail.

Nessa segunda-feira (26), o ministro Carlos Marun disse a jornalistas em Brasília que não teve conhecimento de nenhum amigo seu que tenha transferido valores para o criminoso que clonou o seu número de celular. Já em relação aos amigos de Osmar Terra, ao menos R$ 6 mil teriam sido roubados mediante o mais recente golpe do WhatsApp clonado, conforme reportado pelo Congresso em Foco .

Leia também: ONU exige investigação 'rápida e imparcial' sobre assassinato de Marielle Franco