undefined
Reprodução/TVNBR
Abertura oficial do 8º Fórum Mundial da Água é realizada hoje pelo presidente Michel Temer

O presidente Michel Temer, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, e o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, passaram a manhã desta segunda-feira (19) recebendo, no Itamaraty, líderes de delegações de diversos países, para o segundo dia do 8º Fórum Mundial da Água, em Brasília.

Leia também: Governo vai liberar R$ 1 bilhão para intervenção no RJ e Ministério da Segurança

A abertura oficial do evento foi realizada hoje, através de um discurso feito pelo presidente Michel Temer. Esta é a primeira vez que o Fórum Mundial da Água ocorre em um país do Hemisfério Sul, desde sua estreia em 1997, na cidade de Marrakesh, no Marrocos.

"Assegurar água é assegurar dignidade", afirmou Temer em seu discurso. "Esse é o propósito que naturalmente nos reúne em Brasília", continuou. "Se nos fecharmos em nós mesmos, se atuarmos de forma desarticulada, todos pagaremos um preço. As soluções que buscamos são sempre coletivas", alertou.

O evento, que começou neste domingo (18), deve reunir cerca de 45 mil pessoas interessadas no tema. Desse total, 10 mil são especialistas vindos de mais de 100 países que estarão no fórum debatendo diferentes teses sobre o assunto, em vários painéis ao longo da semana.

Participam da reunião os presidentes de Cabo Verde, Jorge Carlos de Almeida Fonseca; da Guiana, David Granger; da Hungria, János Áder, e de São Tomé e Príncipe, Evaristo Espírito Santo Carvalho e o príncipe herdeiro do Japão, Naruhito.

Além deles, estão no evento os primeiros-ministros da Coreia, Nak-Yon Lee; do Marrocos, Saad Dine El Otomani, e de Mônaco, Serge Telle; o vice-presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Mangue; a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay; o ex-presidente da República da Eslovênia, Danilo Turk, e o ministro de Negócios Estrangeiros do Senegal, Sidiki Kaba.

Brasil tem água em abundância?

undefined
Paulo Pinto/Fotos Públicas
Apesar de 19% da oferta mundial de água estarem aqui, é um equívoco pensar que o Brasil tem recurso em abundância

A troca de conhecimentos durante o ciclo de palestras, que segue até sexta-feira (23), pode ajudar o Brasil a criar uma política nacional de prevenção à escassez hídrica.

Essa é a opinião do coordenador temático do fórum, Jorge Werneck, que também é diretor da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) e pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Na avaliação dele, apesar de 19% da oferta mundial de água estarem no país, é um equívoco pensar que o Brasil tem abundância. “E quando há fartura, ninguém se preocupa muito”, disse.

Leia também: Para defender 'seu legado e sua honra', Michel Temer decide disputar a reeleição

O especialista alerta que com as mudanças climáticas, as chuvas tornaram-se irregulares nos últimos dez anos, paralelamente ao processo de migração do campo, ocupações desordenadas e o uso crescente de água na produção agrícola. Desta forma, algumas cidades passaram a enfrentar uma crise hídrica, como é o caso de Brasília e São Paulo.

”A gente está vivendo um processo de urbanização muito grande com comunidades se juntando, em alguns locais temos os polos agrícolas com altas tecnologias baseadas em mecanismos de irrigação de grande parte do país onde não chove bastante como, por exemplo, no Nordeste”, disse, ressaltando que na região existem áreas onde não chove há seis anos.

Agenda das autoridades

undefined
Divulgação/Palácio do Planalto
Michel Temer recebe chefes de delegações participantes do 8º Fórum Mundial da Água, em Brasília, nesta segunda-feira

Recebidas pessoalmente por Temer durante a manhã, as autoridades que estão hoje em Brasília vão se reunir, às 12h10, para a foto oficial dos chefes de delegação. Depois da foto, acontecerá um almoço entre os líderes e, à tarde, o presidente fará reuniões bilaterais no Palácio do Planalto. 

De acordo com a agenda oficial divulgada à imprensa, às 15h, Temer tem audiência com o presidente da República de São Tomé e Príncipe. Depois recebe o primeiro-ministro da República da Coreia. Mais tarde, ele deve se reunir com o presidente de Cabo Verde, com o primeiro-ministro do Reino do Marrocos, com o presidente da Hungria e, por fim, com o príncipe herdeiro do Japão, Naruhito. Todos estão no 8º Fórum Mundial da Água.

Leia também: João Doria vence prévias do PSDB e será candidato ao Governo de São Paulo

* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários