O primo do senador Aécio Neves (foto), violou por duas vezes a área de circulação permitida pela tornozeleira
Geraldo Magela/Agência Senado - 5.7.17
O primo do senador Aécio Neves (foto), violou por duas vezes a área de circulação permitida pela tornozeleira

O empresário Frederico Pacheco de Medeiros, conhecido pela mídia por ser primo do senador Aécio Neves (PSDB-MG), recebeu duas advertências da Secretaria de Administração Penitenciária de Minas Gerais – órgão responsável por monitorar o uso das tornozeleiras eletrônicas – durante o período em que usou o equipamento, no ano passado. 

Leia também: Em novos depoimentos à PF, empreiteiras citam repasses ao PSDB em São Paulo

Isso porque o primo de Aécio Neves violou por duas vezes a área de circulação permitida pela tornozeleira.  O registro da primeira violação chegou ao gabinete do ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal, em Brasília, em 6 de novembro. O segundo, em 14 de dezembro. No mesmo mês, Marco Aurélio decidiu liberá-lo do uso do equipamento. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo .

O empresário foi preso em maio do ano passado, durante a Operação Patmos, por suspeita de envolvimento no pagamento de suposta propina de R$ 2 milhões do grupo J&F ao senador tucano. Na época, veio à tona um vídeo em que Frederico aparece recebendo R$ 500 mil na sede da J&F em São Paulo.

O primo de Aécio teve sua pena convertida para domiciliar com medidas cautelares em junho, pela Primeira Turma do Supremo. Entre as proibições estavam a de se comunicar com os demais investigados e a de se ausentar sem autorização judicial, além da entrega dos passaportes e a utilização da tornozeleira.

Você viu?

Leia também: Votação da reforma da Previdência pode ficar para depois das eleições, diz Maia

Infrações

De acordo com os registros da Secretaria, em 18 de outubro, às 12h49, Frederico esteve no bairro da Serra, em Belo Horizonte. O local fica a cerca de 29 quilômetros da residência dele.  Na segunda infração, a Secretaria verificou que Frederico estava, às 19h27, no bairro Jardim Canada, em Nova Lima. As coordenadas de latitude e longitude apontam para um supermercado, a dez quilômetros da casa do primo do tucano.

“Eu, Frederico Pacheco de Medeiros, declaro que compareci na Unidade Gestora de Monitoração Eletrônica e estou sendo advertido (a) por violar área de inclusão no dia 18 de outubro de 2017, configurando descumprimento da decisão que concedeu a monitoração eletrônica”, indicou um dos documentos obtidos pelo jornal.

Leia também: Temer anuncia criação do Ministério de Segurança Pública durante reunião no RJ

“Declaro estar ciente do descumprimento e me comprometo a cumprir todas as condições da determinação judicial”, diz o documento assinado pelo primo de Aécio Neves.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários