Nomeação da deputada Cristiane Brasil para ministra do Trabalho foi publicada no Diário Oficial da União
Reprodução/Facebook
Nomeação da deputada Cristiane Brasil para ministra do Trabalho foi publicada no Diário Oficial da União

A nomeação da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) para ministra do Trabalho foi publicada na edição desta quinta-feira (4) do Diário Oficial da União. A sua posse deve ocorrer na próxima semana.

O nome da nova ministra do Trabalho foi levantado, nesta quarta-feira (3), em uma reunião entre o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson (pai da parlamentar) e o presidente da República, Michel Temer , no Palácio do Jaburu.

De acordo com Jefferson, o nome de Cristiane Brasil "surgiu" durante a conversa e não foi uma indicação dele próprio. Ao fazer o anúncio, o pai da parlamentar chegou a chorar.

Segundo o próprio presidente do PTB, ele havia pensado na indicação de outros três deputados para a pasta. “Aí roda pra cá, roda pra lá. Então se falou: 'Roberto, e a Cristiane? Por que não?' Aí foi da cabeça do presidente: 'Ela é uma menina experimentada, foi secretária municipal em vários governos na cidade do Rio de Janeiro'. Eu falei: 'presidente, aí o senhor me surpreende, vou ter que consultar", afirmou.

Segundo ele, após a consulta e a aceitação, Cristiane Brasil concordou em não disputar as eleições deste ano. "Ela ficará ministra até o final [do governo de Temer]", afirmou. Roberto Jefferson disse ainda que o líder do partido na Câmara, deputado Jovair Arantes (PTB-GO), também concordou com a nomeação e disse que a deputada tem a "confiança" da bancada.

Perfil de Cristiane

A deputada tem 44 anos e é advogada pela Universidade Católica de Petrópolis. Em 2014, se elegeu deputada federal pela primeira vez. Mas, antes disso, foi vereadora do Rio de Janeiro por três mandatos.

Você viu?

Leia também: Secretária de Radiodifusão é desligada do cargo no Ministério das Comunicações

Na Câmara, possui um posicionamento favorável ao governo Temer, votando a favor da proposta de emenda à Constituição (PEC) do teto dos gastos públicos, da reforma trabalhista e contra as denúncias que envolviam o presidente.

E na Justiça?

A futura ministra é filha do ex-deputado Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB e condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do mensalão – em março de 2016, ele obteve o perdão da pena. Porém, ela mesma não possui nenhum inquérito em tramitação no STF.

Em 2015, duas investigações foram abertas contra a deputada, na intenção de investigar supostos crimes eleitorais na eleição de 2014. Nenhum dos casos encontrou qualquer prova contra Cristiane e, por isso, ambos os inquéritos foram arquivados. 

A deputada, contudo, apareceu no ano passado nas delações feitas pela Odebrecht e pela J&F. Mesmo assim, não foi aberta qualquer investigação.

Leia também: Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços pede demissão do cargo

A futura ministra do Trabalho foi acusada de ser uma possível destinatária de parte da propina paga pela  Odebrecht , mas negou envolvimento no caso. Além disso, segundo Ricardo Saud, da J&F , Cristiane seria o canal no PTB, que teria levado R$ 20 milhões para aderir à campanha de Aécio Neves. Ela não comentou o caso.

    Leia tudo sobre:

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários