Tamanho do texto

Ex-diretor de marketing do Banco do Brasil foi condenado a 12 anos e sete meses de prisão por peculato, lavagem de dinheiro e corrupção passiva

Ex-diretor Henrique Pizzolato esteve foragido da Justiça brasileira logo após ser condenado pelo processo do Mensalão
Antonio Cruz/ Agência Brasil - 23.10.15
Ex-diretor Henrique Pizzolato esteve foragido da Justiça brasileira logo após ser condenado pelo processo do Mensalão

Após ter sido autorizado a cumprir o restante de sua pena em liberdade condicional, o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato deixou nesta quinta-feira (28) a Penitenciária da Papuda, no Distrito Federal. Ele foi liberado por volta das 14h. A informação foi confirmada pela Subsecretaria do Sistema Penitenciário do Distrito Federal.

Na quarta-feira, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso concedeu liberdade condicional Henrique Pizzolato , condenado a 12 anos e sete meses de prisão no processo do Mensalão.

Segundo o ministro, Pizzolato cumpre as condições necessárias para deixar a cadeia, como ser réu primário e não ter cometido faltas disciplinares no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal, onde cumpre a pena. Ele já estava no regime semiaberto – podendo sair para trabalhar – desde maio de 2017.

O ex-banqueiro já cumpriu um terço da sentença, exigência para a liberdade condicional . “O atestado de pena expedido pelo Juízo delegatário desta execução penal dá conta de que o sentenciado implementou o requisito objetivo necessário à concessão do livramento condicional”, afirmou o relator.

Leia também: Doleiros acusados de operar contas de Cabral chegam ao Rio após extradição

O ex-diretor de marketing do Banco do Brasil terá de respeitar determinações impostas pela Vara de Execuções Penais do DF e pagar multa de R$ 2.175 por mês até completar o valor de R$ 2 milhões. O parcelamento foi proposto pela defesa de Pizzolato e aceito pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Relembre o caso

Pizzolato foi condenado pela Justiça brasileira em 2013, mas fugiu para a Itália, usando um passaporte falso. Na Europa, ele foi preso em 2014 e acabou sendo extraditado para o Brasil em 2015.

Em agosto deste ano, após ter direito ao semiaberto, o ex-diretor de marketing do Banco do Brasil começou a trabalhar na rádio OK FM, em Brasília . A emissora pertence ao companheiro de cela do ítalo-brasileiro, o ex-senador Luiz Estevão.

Henrique Pizzolato foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por peculato, lavagem de dinheiro e corrupção passiva por fatos ligados ao  Mensalão . Após o julgamento da ação penal 470, o Supremo repassou à Justiça Federal em Brasília a responsabilidade pelo cumprimento da pena imposta ao ex-diretor de marketing do BB.

* Com informações da Ansa

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.