Tamanho do texto

A defesa do casal Garotinho entrou com pedido de habeas corpus na última quarta-feira (6); em decisão divulgada ontem, ministro ainda negou conceder liberdade ao presidente nacional do PR e outras duas pessoas ligadas a ele

Anthony Garotinho e esposa foram presos por suspeita de corrupção, organização criminosa e irregularidades
Inácio Teixeira/Coperphoto - 26.9.14
Anthony Garotinho e esposa foram presos por suspeita de corrupção, organização criminosa e irregularidades

O Tribunal Superior Eleitoral ( TSE ) negou os pedidos de habeas corpus requeridos pelos ex-governadores do Rio de Janeiro, Rosinha e Anthony Garotinho, também pelo presidente nacional do PR, Antônio Carlos Rodrigues. A decisão monocrática foi tomada pelo ministro Jorge Mussi na quinta-feira (7).

Com a decisão proferida pelo ministro do TSE, Anthony Garotinho permanecerá preso no Complexo Prisional de Bangu (Bangu 8), enquanto Rodrigues continua na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. Rosinha, porém, segue em liberdade – mesmo com a negativa de habeas corpus –, mas usando a tornozeleira eletrônica, conforme decisão realizada na semana passada pelo Tribunal Eleitoral do Rio de Janeiro.  

Além dos três pedidos, o ministro Mussi ainda negou habeas corpus ao genro do presidente do PR, Fabiano Rosas Alonso, e Thiago Soares de Godoy. Todos eles tiveram prisão preventiva decretada pela 98ª Zona Eleitoral do Rio de Janeiro.

Pedido de liberdade

O ex-governador do Rio entrou com um pedido de liberdade no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tentando reverter a prisão preventiva decretada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), que já havia negado anular a prisão. O recurso de habeas corpus foi protocolado no TSE na noite da terça-feira (6).

 No pedido, a defesa de Garotinho afirma que tanto ele quanto sua esposa, Rosinha  Matheus,  “foram  governadores  do  Rio  de  Janeiro ,  e  renunciaram  ao  direito de aposentadoria vitalícia. Ambos  sustentam  uma  família  que  já  soma  nove  filhos,  sendo  cinco deles adotados, e sete netos”.

Leia também: Filha de Garotinho nega que tentou coagir médico e aponta "perseguição" de juiz

Além disso, os advogados argumentam que com garotinho preso, o programa de rádio que ele comanda estaria “em vias de ser cancelado”, provavelmente na “próxima segunda-feira” (11), citando isso como motivo para ele ser solto.

A equipe de defesa oferece como alternativa medidas cautelares, como “comparecimento  em  juízo  semanalmente,  proibições  de acesso  ao  que  o  juízo [juiz reponsável]  entender  conveniente,  a  não  comunicação  com  quem entender de direito ou outras”, disseram no texto apresentado ao TSE.

O casal foi preso no dia 22 de novembro, acusados de corrupção passiva, extorsão qualificada com uso de arma de fogo, crimes eleitorais, falsidade eleitoral, crime de caixa dois e organização criminosa , incluindo a extorsão de empresários enquanto ocupavam prefeitura de Campos dos Goytacazes , no norte do Rio.

Os dois foram denunciados pelo Ministério Público Eleitoral do Rio após informações dadas por empresários da JBS, que afirmaram ter repassado dinheiro a Anthony Garotinho, em sua campanha eleitoral ao governo do estado, em 2014.

*Com informações da Agência Brasil

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.