undefined
Beto Barata/PR - 25.7.2017
Michel Temer está reunido com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e outros

O presidente da República, Michel Temer, se reuniu na manhã desta quarta-feira (8), com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles , e relator da reforma da Previdência na Câmara, Arthur Maia (PPS-BA), para discutir a proposta que aguarda votação na Casa.

Leia também: Michel Temer publica vídeo no Twitter: “Reforma previdenciária é fundamental"

Essa reunião é mais um esforço do governo de Michel Temer para evitar o sepultamento da matéria na Câmara dos Deputados. Ao final da reunião, Meirelles afirmou que a base governista não "jogou a toalha" e que vai insistir na aprovação da reforma da Previdência.

Também participaram da reunião o secretário de previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, e o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), que presidiu a comissão especial que analisou o tema.

Outras tacadas do governo

Na noite desta terça-feira, o presidente publicou em suas redes sociaisl um vídeo em que pede o apoio aos cidadãos do País para aprovar a reforma da Previdência .

Depois de reuniões com líderes da base aliada da Câmara dos Deputados na última segunda (6), e do Senado, ontem (7), o governo já admite mudanças no texto da reforma para que, pelo menos, parte dela seja aprovada ainda este ano. Como se trata de emenda Constitucional, para aprovar a reforma na Câmara serão necessários, pelo menos, 308 votos favoráveis.

Leia também: Câmara aprova projeto que acaba com atenuantes de pena para menores de 21 anos

Na segunda-feira, ao discursar na abertura da reunião com os líderes da Câmara, Temer disse que, mesmo que não se consiga fazer tudo o que for necessário na reforma, é importante avançar para que quem vier depois possa fazer uma revisão na Previdência.

“A reforma da Previdência é a continuação importante, fundamental para fecho das reformas que estamos fazendo. Continuarei empenhando nela, trabalharei muito por ela. Por mais que não se consiga fazer tudo, se permita que quem venha depois, mais adiante, que possa fazer uma nova revisão da Previdência Social ”.

Já Meirelles, nesta terça, afirmou que a reforma da Previdência não é mais uma opção. “A reforma não é uma questão de escolha, ela terá que ser feita em algum momento, é uma questão fiscal, numérica”. Ele comentou a declaração dada na segunda (6) por Temer sobre as dificuldades para a aprovação da reforma da Previdência.

“O presidente reconheceu as dificuldades, é um processo controverso em qualquer lugar do mundo, não há dúvida. O presidente reconheceu esse fato para as lideranças partidárias que ali estavam expressando as suas preocupações”, afirmou o ministro de Michel Temer.

Leia também: Deputada Shéridan é denunciada pela PGR por compra de votos em 2010

* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários