undefined
Divulgação/PT-MA
Sede estadual do PT no Maranhão sofreu pichações e tentativa de invasão na madrugada dessa quinta-feira

A sede do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) no Maranhão foi alvo de atos de vandalismo na madrugada da última quinta-feira (2), em São Luís. Os muros do estabelecimento amanheceram com pichações de estrelas (símbolo máximo do partido) de ponta cabeça e a inscrição "Bolsomito" – expressão usada nas redes sociais em apoio ao deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), que é pré-candidato à Presidência e possível adversário do petista Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições de 2018.

Leia também: Dodge diz ao STF que Aloysio Nunes recebeu dinheiro da Odebrecht; ministro nega

Além das pichações, também houve tentativa de invasão ao imóvel, conforme informações da direção do PT no Maranhão. A sede estadual da legenda foi inaugurada há pouco mais de três meses e está localizada no Bairro Renascença, em área nobre da capital do estado.

A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, senadora Gleisi Hoffmann (PR), divulgou nota nesta sexta-feira (3) repudiando os atos de vandalismo, classificados por ela como uma "reação truculenta e ignorante".

"O vandalismo, a intolerância política e a violência são a reação truculenta e ignorante dos que não têm argumentos e nem apoio popular para vencer o debate na arena democrática.
Solidariedade e reconhecimento à luta, resistência ao golpe e fortalecimento da organização partidária pelos dirigentes e militantes do PT no Maranhão", afirmou a senadora.

Leia também: Do outro lado da urna: a ação política feminina 87 anos após o direito ao voto

"Agressão à democracia"

O presidente do diretório maranhense do partido, Augusto Lobato, também expressou indignação com a depredação do imóvel em São Luís. Para Lobato, o ataque não atingiu somente a estrutura física do partido, mas também representa uma "agressão à democracia".

"Este ato nos causa indignação porque é um atentado contra liberdade política e democrática do País", afirmou o petista, em nota. "O ato nos reflete a escala da intolerância, ódio e do facismo no Brasil. Infelizmente vemos uma ascensão dessa lógica de censura e criminalização dos partidos políticos de esquerda, insultados por parte de uma imprensa irresponsável e dos setores conservadores aliados à eleite econômica do País", completou.

Leia também: Gilmar diz que não houve ameaça em discussão entre Cabral e juiz: "Nada demais"

    Veja Também

      Mostrar mais