Tamanho do texto

Advogado do presidente quer que o plenário do STF analise devolução da denúncia antes de julgar validade das provas entregues por delatores da JBS

Michel Temer quer que a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, analise denúncia entregue por Janot
Marcos Corrêa/PR - 18.9.17
Michel Temer quer que a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, analise denúncia entregue por Janot

Os advogados do presidente Michel Temer protocolaram no Supremo Tribunal Federal (STF) um novo pedido para que o plenário da Corte autorize, ainda nesta quarta-feira (20), a devolução à Procuradoria-Geral da República (PGR) da segunda denúncia apresentada por Rodrigo Janot contra o presidente. O pedido já havia sido negado por decisão monocrática do ministro Edson Fachin, relator dos processos da Lava Jato no Supremo.

Leia também: Em entrevista, Janot chama Joesley de "bandido" e rebate críticas de Temer

Os advogados de Michel Temer alegam no recurso que, durante o tempo que ocupar o cargo, o presidente não pode ser investigado por supostos fatos ocorridos antes que ele assumisse o mandato presidencial. A defesa insiste para que a acusação seja reavaliada pela nova chefe da PGR, Raquel Dodge – que foi indicada para o cargo por Temer.

O presidente foi denunciado na última quinta-feira (14) por Rodrigo Janot, que acusa Temer de ter cometido crime de organização criminosa junto a outros integrantes do chamado "quadrilhão do PMDB na Câmara", entre eles Eduardo Cunha, Eliseu Padilha e Moreira Franco. O presidente também é acusado, ao lado de Joesley Batista, de ter cometido crime de obstrução à Justiça.

Leia também: Câmara foca no fim de coligações após abrir mão da reforma política com "distritão"

Primeiro recurso

A defesa de Temer apresentou, já no dia seguinte à entrega da denúncia por Janot, um primeiro pedido para que o ministro Edson Fachin devolvesse o processo à PGR.

O recurso foi rejeitado nessa terça-feira (19) sob a justificativa de que não cabia uma decisão sobre o assunto porque a questão deveria ser discutida na sessão da Corte marcada para esta tarde , durante a qual os ministros devem decidir sobre a possível suspensão do envio para a Câmara dos Deputados da nova denúncia contra o presidente e a validade das delações dos donos e executivos do grupo J&F, proprietário, entre outras marcas, do frigorífico JBS.

A sessão do STF será marcada pela estreia da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, como representante do Ministério Público Federal (MPF) no Supremo.

*Com informações e reportagem da Agência Brasil