Crítico de Janot, Temer agora alinha discursos com Dodge na posse da nova PGR

Presidente praticamente repete discurso usado para alfinetar antigo chefe do MPF, defendendo "autoridade da lei" e "harmonia entre os Poderes"
Foto: Marcos Corrêa/PR - 18.9.17
Michel Temer e Raquel Dodge mostraram discursos alinhados durante posse da nova chefe da PGR

O presidente Michel Temer demonstrou entrosamento com Raquel Dodge durante a cerimônia de posse da nova procuradora-geral da República  na manhã desta segunda-feira (18), em Brasília.

Denunciado por crimes de organização criminosa e obstrução à Justiça  pelo antigo chefe da PGR, Rodrigo Janot, o presidente reafirmou em seu discurso que o desrespeito às leis e à Constituição configuram abuso de autoridade.  Michel Temer  praticamente repetiu as palavras usadas por ele na semana passada, quando enviou uma indireta a Janot  às vésperas da apresentação da nova denúncia.

“Foi com um prazer extraordinário que a ouvi dizer, em outras palavras, que a autoridade suprema não está nas autoridades constituídas, mas está na lei, ou seja, toda vez que há ultrapasse dos limites da Constituição, ou dos limites da lei, verifica-se o abuso de autoridade. A lei é a maior autoridade no nosso sistema”, disse Temer comentando o discurso da procuradora-geral, que destacou a importância e autoridade da Constituição de 1988. 

Se antes o presidente havia decidido partir para o enfrentamento, tentando inclusive desclassificar Rodrigo Janot perante o Supremo Tribunal Federal (STF), agora Temer adota um discurso de "harmonia entre os Poderes".

“Não é sem razão que a ouvi dizer, solenemente, da necessidade da harmonia entre os poderes e nesse capítulo entra o Ministério Público. As características do Ministério Público são as mesmas dos demais poderes de Estado”.

Sem menção a Janot, denúncia ou Lava Jato

Primeira mulher a assumir a chefia da Procuradoria-Geral da República, Raquel Dodge foi escolhida para o cargo pelo presidente Temer após ser a segunda mais votada pelos integrantes da Associação Nacional dos Procuradores da República (ela recebeu 21 votos a menos que o subprocurador-geral Nicolao Dino, que é aliado de Janot).

Dodge não fez menção em seu discurso nem ao seu antecessor, nem às investigações da Operação Lava Jato e nem à denúncia contra Temer, garantindo apenas que "os problemas serão encarados com seriedade, com fundamento na Constituição e nas leis”.

A denúncia contra o presidente Temer, apresentada na última quinta-feira (14) por janot, ainda está parada no gabinete do ministro do STF Edson Fachin. O relator do processo aguarda veredito do plenário da Corte sobre a validade das provas apresentadas por delatores do grupo J&F para então decidir se envia ou não a denúncia para a Câmara dos Deputados. O julgamento sobre as provas das delações está previsto para quarta-feira (20).

Antes disso, Michel Temer participa da abertura da 72ª Assembleia Geral das Nações Unidas, nessa terça-feira (19), nos Estados Unidos. O presidente já embarcou para o país e deve participar ainda hoje de jantar com o presidente americano, Donald Trump.

Leia também: General do Exército sugere intervenção caso "problema político" não se resolva

Link deste artigo: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-09-18/michel-temer.html