Tamanho do texto

Protestos deste domingo foram convocados pelo movimento Vem Pra Rua; manifestantes bateram boca com apoiadores de Dilma no Rio de Janeiro

Manifestação contra a impunidade e contra a criação de fundo para financiar campanhas no Rio de Janeiro
Divulgação/Vem Pra Rua
Manifestação contra a impunidade e contra a criação de fundo para financiar campanhas no Rio de Janeiro

Manifestantes foram às ruas de diversas capitais do País neste domingo (27) em protesto contra a impunidade e contra a criação de um fundo bilionário para financiar campanhas eleitorais com dinheiro público – proposta incluída na PEC da reforma política que tramita na Câmara dos Deputados .

Os atos deste domingo tiveram baixa adesão, mas ainda assim levaram grupos vestidos de verde e amarelo para passeatas em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Campo Grande, Belém e Recife. A série de manifestações foi convocada pelo movimento Vem Pra Rua, grupo que ganhou notoriedade por levar multidões a protestos pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

A petista, inclusive, foi motivo do momento mais tenso dos protestos desta tarde, que em geral decorreram de forma pacífica. Em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, um grupo de apoiadores da ex-presidente se postou em frente ao prédio onde Dilma tem apartamento. Quando os manifestantes que participavam do ato do movimento Vem Pra Rua passaram pelo local, houve bate-boca.

Leia também: Rejeição a líderes do PSDB supera desaprovação a Lula, diz pesquisa

Na internet, o Vem Pra Rua apresentou a proposta da manifestação como um ato "contra a impunidade e pela renovação". São citados como alvos do protesto a própria Dilma Rousseff, o presidente Michel Temer, o ex-presidente Lula e o senador Aécio Neves – antes bajulado pelo grupo.

"Vamos às ruas para exigir punição e cadeia para todos os políticos criminosos – verdadeiros bandidos pagos com nosso dinheiro – que assaltam diariamente o País", descreve o grupo no evento criado no Facebook, que teve confirmação de presença de 14 mil internautas.

Principal fundador do movimento social, o empresário Rogério Chequer participou do ato na Avenida Paulista. A manifestação na principal via da cidade de São Paulo teve início por volta das 15h desta tarde em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp) e foi encerrada pouco após as 17h. Nem a Polícia Militar e nem os organizadores do evento divulgaram estimativas do número de participantes.

Leia também: Funcionários do STF recebem até R$ 226,8 mil em um único mês

Na Avenida Paulista, manifestantes levaram cartazes contra o ministro do STF Gilmar Mendes
Divulgação/Vem Pra Rua
Na Avenida Paulista, manifestantes levaram cartazes contra o ministro do STF Gilmar Mendes


    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.