Tamanho do texto

Em uma pesquisa nacional, foi constatado que 46% dos brasileiros não votariam em Lula de jeito nenhum se eleições fossem hoje; veja os números

O prefeito João Doria e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ganhariam do petista se as eleições fossem hoje
Reprodução/Twitter
O prefeito João Doria e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ganhariam do petista se as eleições fossem hoje

Uma nova pesquisa de intenção de voto, divulgada pelo Instituto Paraná Pesquisas, nesta quarta-feira (31), mostrou que, em São Paulo, o PSDB é o partido mais popular para assumir a Presidência do Brasil nas próximas eleições.

Leia também: Proposta de eleições diretas para a Presidência é aprovada pela CCJ do Senado

De acordo com o levantamento, tanto o governador, Geraldo Alckmin (PSDB), quanto o prefeito da capital, João Doria (PSDB), superariam o ex-presidente Lula (PT) se as eleições fossem hoje. Porém, se o candidato fosse o senador afastado Aécio Neves, também tucano, a sorte não seria a mesma.

No cenário contra Doria , Lula alcança 15,2% das intenções de voto, o que não supera os 26,3% do tucano. Contra Alckmin, o tucano sairia na frente do petista, com 24,6% contra 14,5%.

Em ambas as simulações, o terceiro lugar fica com o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Caso o nome do PSDB fosse Aécio, o segundo turno, pelos votos de São Paulo, ficaria entre Lula e Bolsonaro.

O levantamento registrou ainda as presenças tímidas da ex-senadora Marina Silva (Rede) e do ex-presidente do STF Joaquim Barbosa, sem partido, oscilando entre 8 e 12% das intenções de voto.

Leia também: Alckmin nega eventual candidatura e defende FHC e Tasso em eleição indireta

Sem força, o presidente Michel Temer (PMDB), o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) e o senador Álvaro Dias (PV) não alcançaram nem 5% das intenções de voto dos eleições paulistas em nenhum dos cenários analisados. A margem da pesquisa é de 2%, para mais ou para menos.

Rejeição e pesquisa nacional

Saindo do estado de São Paulo e partindo para uma pesquisa mais ampla, no entanto, o cenário é outro. Isso porque, embora a rejeição ao ex-presidente Lula chegue a quase metade do eleitorado brasileiro – 46,5% dos entrevistados –, ele também é o preferido na disputa em todo o Brasil, alcançando cerca de 25% das intenções de voto em todas as simulações em que aparece.

Ainda na questão da rejeição, Bolsonaro, que aparece bem nas pesquisas em São Paulo, vem em segundo lugar na rejeição nacional, com 26,1% dos eleitores dizendo que não votariam nele de maneira nenhuma. A rejeição de Alckmin chega perto, com 24,9% dos brasileiros. 

Ciro Gomes apresentou 22% de rejeição, ao lado de Marina Silva, com 20,4% dos brasileiros contra a sua eleição. 

A pesquisa também constatou que 19,4% dos entrevistados não votariam no senador goiano Ronaldo Caiado (DEM) de jeito nenhum.

Leia também: TSE afasta governador e vice do Amazonas; novas eleições serão agendadas

Os possíveis candidatos que apresentaram as menores rejeições para as eleições presidenciais foram o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), com 16,7% e o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa com 13,9%.

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.