Tamanho do texto

Páginas de humor passaram a ser notificadas por usarem fotos oficiais do governo sem dar crédito ao autor; "não há tentativa de censura", diz Planalto

Após rixa com portugueses, internautas anunciam 'Segunda Guerra Memeal' contra o governo federal
Reprodução/Facebook
Após rixa com portugueses, internautas anunciam 'Segunda Guerra Memeal' contra o governo federal

Algumas páginas de humor na internet estão sendo notificadas pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República por publicarem memes (piadas) utilizando imagens de canais oficiais de comunicação do governo. A informação foi publicada inicialmente pelo jornal Zero Hora e confirmada posteriormente pela reportagem do iG.

Já são conhecidas ao menos duas páginas 'produtoras de memes ' que se tornaram alvos das notificações do Planalto: o perfil do site 'Ah Negão!' e a página 'Capinaremos' – ambas atuantes no Facebook.

Leia também: Michel Temer demite assessor especial preso hoje em operação da PF

Página Capinaremos fez troça com pedido do governo para creditar imagens oficiais do Planalto
Reprodução/Capina Meme Factory
Página Capinaremos fez troça com pedido do governo para creditar imagens oficiais do Planalto

Os autores das piadas usando fotos do presidente Michel Temer receberam e-mails informando que "todas as fotografias [disponíveis nos canais do governo] estão liberadas para uso jornalístico e divulgação das ações governamentais", e que "é necessária autorização prévia da Secretaria de Imprensa da Presidência da República" para o uso das fotos "para outras finalidades".

Em nota, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República confirmou que houve notificações por parte do governo, mas defendeu que "não há tentativa de censura a nenhum veículo de comunicação". O e-mail, segundo a pasta, foi encaminhado pelo Departamento de Fotografia da Secom e se refere à "exploração comercial de imagens".

"O e-mail visa facilitar o uso, desde que citado o crédito de autoria, de imagens oficiais do presidente da República", diz a nota. "A medida busca democratizar o acesso ao acervo fotográfico produzido pelo departamento, sobretudo a veículos de comunicação que não mantêm profissionais de imagem credenciados no Palácio do Planalto."

Leia também: Deputado que presidiu comissão do impeachment é suspeito por esquema no DF

Internet contra-ataca

Internautas defendem os memes e criticam iniciativa do governo de pedir crédito em imagens oficiais
Reprodução/Capina Meme Factory
Internautas defendem os memes e criticam iniciativa do governo de pedir crédito em imagens oficiais

A informação de que páginas de humor estão na mira do governo, é claro, não agradou aos internautas, que declararam uma 'guerra' bem-humorada contra o governo Temer.

A própria página Carpinaremos , uma das notificadas pela Secom da Presidência, fez troça com o pedido de dar crédito às fotografias oficiais do governo, divulgando marcas d'água (recurso para proteger o crédito das imagens) com a logomarca "Planalto Memes".

A página também divulgou uma nota classificando a notificação do governo como "obscura e confusa" e dizendo que não irá parar de fazer piadas. "Jamais vamos agradar a todos, contudo não é certo ficarmos calados frente a tudo que está a", diz o texto.

Muitos usuários das redes sociais anunciaram o início da "Segunda Guerra Memeal", cujo slogan adotado é "O inimigo agora é outro". A 'Primeira Guerra Memeal' ocorreu no ano passado e teve como 'inimigos' os portugueses. A richa luso-brasileira ocorreu após um perfil do país europeu reutilizar um meme que havia sido hit no Brasil há cerca de dois anos.

Leia também: Ativista 'seduz' no Tinder para impedir vitória conservadora no Reino Unido

Confira alguns memes com a atual situação política:











    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.