Tamanho do texto

Presidente do diretório tucano em São Paulo, Mário Covas Neto foi a 1ª liderança do PSDB a defender afastamento de Aécio Neves após acusações

Filho do ex-governador Mário Covas, presidente municipal do PSDB em São Paulo pede afastamento de Aécio Neves
Pedro França/Agência Senado
Filho do ex-governador Mário Covas, presidente municipal do PSDB em São Paulo pede afastamento de Aécio Neves

O presidente do diretório municipal do PSDB em São Paulo, Mário Covas Neto, é a primeira liderança do partido a defender publicamente o afastamento de Aécio Neves  da presidência nacional da legenda. Aécio já foi afastado do cargo de senador, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) , após a divulgação de delação do empresário Joesley Batista na qual o dono do grupo JBS afirma que o tucano pediu R$ 2 milhões para arcar com os custos de sua defesa na Lava Jato.

Em vídeo divulgado ainda na noite desta quarta-feira (17), Mário Covas Neto diz que Aécio "não tem condições" de presidir o PSDB e afirma que ele "está ferido".

"Chegou a hora de o senhor sair da presidência do PSDB. O senhor hoje não tem mais condições de presidir o partido. Não dá para alguém que está sendo acusado de uma série de coisas continuar", afirma Mário Covas Neto . "Como o senhor acha que isso não mancha todos os demais componentes do partido? Vá para casa, prepare sua defesa e prove sua inocência. Até que isso aconteça, precisamos de alguém que possa fazer um bom combate, alguém que não está ferido como o senhor está."

Leia também: Temer diz que há "conspiração contra ele" e fará pronunciamento, segundo senador

Conselho de Ética

No Senado, a bancada do partido se reúne nesta quinta-feira para definir um posicionamento a respeito do governo Michel Temer , que também foi alvo da delação de Joesley Bastista. Mais cedo, o senador Otto Alencar (PSD-BA) cobrou do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) a instalação de um processo contra Aécio no Conselho de Ética da Casa.

A maré negativa para o tucano também inclui a prisão de sua irmã, Andrea Neves, ocorrida na manhã desta quinta-feira. O primo do senador afastado , Fred, acusado de ter recebido a mala com os R$ 2 milhões pedidos pelo presidente nacional do PSDB, também foi preso pela manhã.

Por outro lado, o ministro do STF Edson Fachin, relator dos processos da Lava Jato na Corte, anunciou no início desta tarde que o pedido de prisão contra Aécio Neves feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) foi rejeitado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.