Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) recebe ministro ainda nesta terça-feira  para discutir reforma da Previdência
Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados - 21.2.17
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) recebe ministro ainda nesta terça-feira para discutir reforma da Previdência

Parlamentares integrantes da comissão especial criada para debater a reforma da Previdência e líderes da base aliada do governo participam na manhã desta terça-feira (14) de uma série de reuniões para discutir a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição que altera as regras para a aposentadoria. Encerrado nesta terça-feira o prazo para a apresentação de emendas ao projeto , os deputados da base governista se articulam e planejam um calendário que garanta a aprovação da proposta original enviada pelo governo.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebeu em café da manhã na residência oficial o presidente da comissão especial, Carlos Marun (PMDB-MS), o líder da maioria na Câmara, Lelo Coimbra (PMDB-ES), além dos deputados Darcício Perondi (PMDB-RS), Júlio Lopes (PP-RJ), José Carlos Aleluia (DEM-BA), Thiago Peixoto (PSD-GO) e Reinhold Stephanes (PSD-PR).

Em busca de consenso, os parlamentares discutiram sobre o andamento dos trabalhos das comissões e levantaram os principais pontos que ainda geram divergências nos partidos.

“O que nós queremos com essa reunião é saber onde estão as dúvidas, pra que a gente possa mostrar aos deputados e deputadas que cada um dos pontos que foram colocados na reforma da Previdência tem a sua importância e o seu objetivo, pra que a gente possa no curto prazo estabilizar esse crescente deficit da previdência”, disse Maia após a reunião na residência oficial.

Após o café da manhã, alguns dos parlamentares seguiram para o Palácio do Planalto, onde se reuniram com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. Junto com o ministro da Secretaria do Governo, Antônio Imbassahy, Padilha tem trabalhado nas articulações para a aprovação das propostas do governo no Congresso Nacional.

Padilha voltou ao trabalho nesta segunda-feira (13) e se reuniu com líderes da Câmara para reforçar a importância da aprovação da reforma. Para tratar do assunto, Rodrigo Maia recebe ainda nesta terça-feira em sua residência, o ministro Imbassahy e o relator da proposta, o deputado Arthur Maia (PPS-BA).

Você viu?

Leia também: Relator da reforma da Previdência admite que proposta pode sofrer alterações

Emendas

Até esta segunda-feira, foram protocoladas na Câmara 65 emendas à PEC da reforma da Previdência a maioria por parlamentares da oposição. No entanto, na base aliada, como já adiantou o relator da proposta, também não há consenso ainda. Os principais pontos de divergência tem sido a idade mínima para se aposentar de 65 anos, para homens e mulheres; o tempo total de contribuição de 49 anos para garantir a aposentadoria integral e as aposentadorias especiais, entre outras questões.

Maia minimizou o número de emendas apresentadas e voltou a argumentar que os pontos apresentados são “defensáveis” e necessários para reaquecer a economia. “Se a gente começar a dilapidar a reforma da Previdência, daqui a pouco os efeitos da reforma serão inócuos. (…) O desafio não é o número de emendas. O nosso desafio é mostrar para os parlamentares que essa matéria precisa ser votada e aprovada”, afirmou.

Rodrigo Maia disse ainda que a proposta deve chegar ao plenário da Câmara até o final de abril e ser votada até o fim do semestre.

Leia também: Teste seus conhecimentos sobre a Lava Jato

*Com informações e reportagem da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários